Ebooks

INFORMAÇÃO IMPORTANTE
Infelizmente o 4shared bloqueou o acesso a conta onde eu armazenava os e-books (aparentemente tem algo haver com direitos autorais). Assim que tiver um novo site para armazenamento enviarei os links.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Capsulite Adesiva / Ombro Congelado

INTRODUÇÃO
A capsulite adesiva, também conhecida como ombro congelado foi descrita pela primeira vez por Duplay em 1872 e nomeada de "ombro congelado" por Codman, em 1934, sendo definida como uma condição idiopática do ombro, caracterizada pelo início espontâneo de dor, e evoluindo com restrição dos movimentos da articulação gleno-umeral. Em outras palavras: Trata-se de um quadro de dor dor e limitação da ADM de ombro tanto ativa quanto passiva. A descrição anatomo-patológica (pessoal, desculpe se os hifens estiverem mal colocados, mas ainda não estou por dentro da reforma ortográfica) foi realizada por Neviaser em 1945, sendo observada inflamação do revestimento sinovial e da cápsula articular, levando à fibrose intra-articular global. A capsulite adesiva pode ser dividida em 2 tipos, as quais possuem apresentação clínica similar, diferindo apenas na etiologia:
(1) Capsulite adesiva primária, a qual se refere à forma idiopática de ombro rígido e doloroso.
(2) Capsulite adesiva secundária, a qual refere-se à perda de movimento articular resultante de algum evento desencadeante bem definido, tal como trauma, AVC, lesões do manguito rotador, fratura do membro superior, distrofia simpático-reflexa e imobilização pós cirúrgica.

A história Natural desta patologia é dividida em 3 fases as quais nem sempre são bem delimitadas uma da outra:
Fase congelante e dolorosa (10-36 semanas) - existe um aumento gradual da dor no ombro ao repouso, com a presença de dor aguda nos extremos de movimento.
Fase adesiva (4-12 meses) A dor começa a ceder, porém inicia-se uma progressiva perda de flexão da gleno-umeral, abdução e rotação interna e externa.
Fase de resolução (12-42 meses) é caracterizada por uma melhora progressiva na ADM funcional do ombro.
Apesar das evidências de ser uma patologia auto-limitada com resolução espontânea (isto é, se você considerar espontânea a recupaeração após 4 anos de início do quadro), o tratamento fisioterápico é extremamente necessário para minimizar a dor e as limitações funcionais.

Achados na Avaliação Física
Indivíduos com capsulite adesiva frequentemente queixam-se de dor difusa no ombro, com um ponto sensível à palpação adjacente à inserção do deltóide e ocasionalmente dor irradiada para o cotovelo e, algumas vezes, irradiada para a face lateral de antebraço. A dor geralmente piora com os movimentos de ombro e melhora com o repouso. Ocasionalmente a dor é pior à noite podendo despertar o paciente. As limitações funcionais incluem dificuldades em atividades que exijam elevação do braço acima da linha dos olhos, como por exemplo alcançar um objeto em uma prateleira ou colocar roupa no varal. Vestir-se também é um problema, particularmente peças de roupa que necessitem que os braços sejam movidos em direção às costas, como por exemplo um casaco ou sutiã.

O exame físico evidencia frequentemente limitação multidirecional dos movimentos ativos e passivos da gleno-umeral. Cyriax descreve que nestes casos as restrições obedecem ao padrão capsular da articulação do ombro - Rotação externa sendo o componente mais restrito, seguido de abdução e a rotação medial sendo o componente menos restrito dos três. Existe na internet um roteiro básico de Avaliação do Ombro que acho útil ser lido.
Tratamento
O objetivo do tratamento é aliviar a dor, recuperar a ADM e minimizar as limitações funcionais. Entre as medidas de tratamento conservador (entenda conservador como não cirúrgico) podemos citar a fisioterapia, uso de anti-inflamatórios e injeções intra-articulares. manipulação sob anestesia, liberação artroscópica e cirurgia aberta são as opções mais agressivas.
Exercícios para ganho e manutenção de ADM
Exercícios para a ADM possuem dois papéis básicos no processo de reabilitação destes pacientes:
(1) Ganho, ou (na pior das hipóteses) manutenção da ADM da articulação.
(2) Minimizam a perda de massa e força muscular no braço afetado.
A importância dos exercícios não deve ser superestimada pelo terapeuta e nem pelo paciente. Eles devem ser orientados e realizados pelo paciente várias vezes ao longo do dia. Explicando: Não se deve esperar um tratamento bem sucedido se os pacientes só realizam os exercícios na sessão de fisioterapia.
- - Pausa para alguns cálculos rudimentares de matemática - -
Uma sessão de fisioterapia = aproximadamente 60 minutos (considerando um tratamento adequado em um local sério, com um fisioterapeuta competente e que não receba por convênio)
Um dia = 1440 minutos
Uma semana = 10080 minutos
Logo, se o paciente se tratar 3 vezes por semana (sendo esta uma estimativa muuuuito otimista), ele terá 180 minutos de tratamento dentro de um espaço de tempo de 10080 minutos.
Ou seja: apesar dele passar 100% do seu tempo com dor e limitação funcional, o tratamento físico só estará sendo realizado em aproximadamente 1,8% do tempo. Sinceramente: você acha que tratando seu paciente assim ele(a) vai melhorar?
--- Fim dos Cálculos Matemáticos Rudimentares - - -
Calor
A aplicação de calor no ombro, seja ele por qualquer meio, pode ajudar a manter a mobilidade da articulação e gerar alívio da dor. Sendo bastante útil imediatamente antes da realização dos exercícios terapêuticos.
Na verdade, as abordagens de fisioterapia para o ombro congelado são abundantes na internet. Segue abaixo alguns links que podem ser úteis.
Artigo da Fisioweb sobre intervenções fisioterapêuticas no ombro congelado
Tem também uma publicação sobre a base teórica que justifica o uso do conceito Maitland na capsulite adesiva, interessante
Encontrei na Revista brasileira de ortopedia um artigo de 1993 sobre o Tratamento multidisciplinar da capsulite adesiva. Embora seja um trabalho antigo, a discussão sobre o papel do médico orotpedista, do clínico de dor e do fisioterapeuta são bastante elucidativos. Me agradou particularmente a leitura do papel do ortopedista e a classificação funcional da evolução clínica do ombro congelado.
Mas guardei pro final uma pequena provocação:
Na base PEDro de fisioterapia baseada em evidência, uma revisão sistemática sobre capsulite adesiva revelou que a eficácia é incerta devido à falta de rigor metodológico dos estudos avaliados. Quem quiser pode baixar Physical Therapy for Adhesive capsulitis.pdf
Tem também um trabalho que investigou os efeitos do Ultra-Som na capsulite adesiva e concluiu que o US não ofere benefício adicional ao tratamento Effectiveness of therapeutic ultrasound in adhesive capsulitis.pdf
E outros 2 interessantes

16 comentários:

Anônimo disse...

ola..
sou fisioterapeuta recem formada e tenho uma paciente com diagnostico de capsulite..
vou começar o tratamento amanha e queria saber se a utilizaçao de crioterapia nas prmewiras sessoes estao erradas?
obrigada.. katy

Anônimo disse...

ola..
sou fisioterapeuta recem formada e tenho uma paciente com diagnostico de capsulite..
vou começar o tratamento amanha e queria saber se a utilizaçao de crioterapia nas prmewiras sessoes estao erradas?
obrigada.. katy

Humberto Neto disse...

Olá Katy,
Imagino que vc esteja esperando uma resposta franca e direta, do tipo Sim/Não.
Entretanto, devo lhe dizer que neste caso não há certo ou errado. Não existe nada na literatura que contra-indique a crioterapia. Você pode usar Sim. Eu apenas recomendo que você tenha em mente que está usando gelo para alcançar um objetivo claro (Ex: gerar hipoestesia antes da cinesioterapia ou minimizar a dor pós manipulação).
O mesmo vale para o uso do TENS, Calor, US, método Mulligan, Maitland, Osteopatia, etc...
Tudo vai depender da sua avaliação e do objetivo que vc pretende alcançar com a abordagem escolhida.
Espero ter esclarecido mais do que confundido
Boa sorte com sua paciente e desejo muito sucesso profissional.
Atenciosamente
Humberto

Anônimo disse...

Olá! Sou uma paciente com diagnóstico de capsulite, e embora assistida por um ortopedista e uma fisioterapeuta, busco sempre mais informações em fontes confiáveis.Nas minhas sessões de fisioterapia, são usados o ultra son, tens e ondas antes dos exercícios. Na verdade, apenas o exercicio pendular e o bastão.A maior parte do tempo é usada pela fisoterapeuta, com manipulação do meu braço e ombro, onde ela faz movimentos fortes "puxando" o braço e girando o ombro .Está correto?

Anônimo disse...

Olá!
Sou acadêmica de fisioterapia, e estou começando meu estágio em ortopedia neste semestre.
Bem, sei que não sou a pessoa mais indicada para dar opiniões, já que ainda não me graduei, mas através das pesquisas que fiz e do conteúdo que lembro das aulas, vou opinar:
Katy: O gelo (crioterapia) eve ser usado apenas quando o paciente se apresenta no estágio I, onde ha dor e edema (neste caso).O gelo tem a;'ao antiinflamatoria e anestesica.
Ja se o paciente se encontra em um est[agio que n'ao tenha mais dor, na minha opini'ao, o gelo s[o ira piorar o caso, pois ira provocar efeito contrario ao do relaxamento, o que dificultara mais a aumento de ADM, ai, acho viavel iniciar exercicios leves para ganho de ADM, como os descritos pela paciente aqui respeitando sempre o limite do paciente.Mobiliza;oes tamb[em s'ao validas, pois a capsula esta `grudada`, e e preciso solta-la.
Espero ter ajudado!

adalberto disse...

Olá sou mais um encapsulado, desde 08/12/2009, passei por todas as dores possíveis e imaginárias. Sou praticante de Tênis de mesa, do sexo masculino, tenho 51 anos, 190m, 112 kg, após 9 horas de jogos intensos(com movimentos repetitivos e fortes)fui para casa sem ter nenhum sintoma,fui me deitar acordei pela madrugada com dores horríveis que me fizeram abraçar o braço junto ao corpo e dormir sentado. Não procurei um médico de imediato. Só após dois meses, onde foi diagnosticado: "inflamação do supra-espinhoso", comecei por recomendação médica a aculputura e fisioterapia. Obtive analgesia depois de dois meses. Hoje as dores já são moderadas mas aparecem de vez em quando. Responda-me por favor: 1-É verdade que pode desaparecer todos os sintomas de uma hora para a outra, sem motivo aparente?
2-É verdade que o tempo de recuperação esta entre 6 meses e 2 anos?3-Por último percebi que estou tendo hiperhidrolise axial, de forma surpreendente surgiu, instalou-se, e não consigo elimina-la, o que fazer. Tenho passado por situações constrangedoras com este excesso de sudorese. Existe tratamento não evasivo, ou até mesmo medicamentoso? 4-O que fazer para agilizar a recuperação dos movimentos do ombro, preciso voltar a competir.
Grato desde já.
Abraços
O Professor

nana disse...

Achei ótima a sua abordagem, especialmente porque, além de inteligente, tem um toque de humor em tudo. Aliás, um pouco de humor parece ser um dos componentes para a cura.
Obrigada
Maria Angela

Anônimo disse...

Minha esposa fez uma cirurgia colocando dois pinos de dois tendões rompidos no ombro, ela teve uma grave capsulite adesiva, foi fazer o bloqueio com outro médico e deu mal, pegou um açogueiro, que ha deixou 12 dias o ombro luchado, quase que teve que por protese, graças ao noso bondoso DEUS, o médico conseguiu colocar seu ombro no lugar depois de tres horas no centro cirurgico,imaginem só o que ela passou,..e esta passando a seis meses, sem varios movimento dos tendões ,por causa de um açoqueiro que se dis MÉDICO!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Gostaria muito de saber,porque os tendões do pulso estao parados e os dedos parcialmente atrofiados ha seis meses, apos uma grave luxação de 12 dias

Mauro Ferreira disse...

Olá, há 65 dias(19 de abril) passei por uma cirurgia no oombro direito. Após detectados calo ósseo e desgaste do manguito, bursite foi feita a Artroscopia ombro manguito rotador, Bursectomia, acromioplastia e sinovectomia. Após a cirurgia fiquei 32 dias com a tipóia, então comecei a fisioterapia tradicional com exercícios com bastão para o deltóide e outros mais choquinhos.
Lá pela 9 sessão de fisoterapia e até aí estavA INDO TUDO BEM, começaram as dores de tendinite e bursite, então começou a regredir, ou simplsmente parou o progresso, comecei a tomar antiinflamatório e as dores diminuiram bastante, agora só estou fazendo exercícios sem peso nenhum, passivos e ativos e analgesia.
Estive hoje em um outro ortopedista que me disse que estou com o ombro congelado, como realmente saber?
Estou a 35 dias que tirei a tipóis, 13 sessões de fisoterapia e lebando meu braçõ atécolcar minhas mãos atrás da cabeça, cruzo os braços na frente e lavo minha cabeça com as duas mãos, lógico que falta ainda basante ADM, e sinto dores nos finais dos movimentos de ADM, não sei o que faz\er, alguma sugestão
Como realmente detectar se estou com Ombro congelado?

Grato
Mauro

Fernanda K G G disse...

Boa tarde!!!

nunca esqueçam de inibir ponto gatilho em trapézio posterior para trabalhar a capsulite. Eu uso liberação muifascial, US e massoterapia. Depois que comecei a fazê-los, a minha paciente melhorou muito!!

Anônimo disse...

Fui diagnosticada com pseudo-artrose do úmero (fraturei há quase oito meses) e o ortopedista disse que necessito cirurgia com enxerto de osso, pinos e placa. Minha fisioterapeuta entretanto não aprova tal procedimento porque diz que estou com capsulite adesiva e deveria tratar desta condição antes de partir para a cirurgia devido ao risco de piorar ainda mais o quadro. Estou sem saber o que fazer...

Sandra Bacha disse...

Fiz a cirurgia de capsulite adesiva, faço fisioterapia todos os dias e mais exercícios em casa, já tem um mês da cirurgia, mas ainda não consigo prender meu cabelo nem tirar minhas blusas sozinha e ainda sinto muita dor e não consigo dormir sem tomar calmante. Gostaria de saber quanto tempo ainda vou ter que fazer esses exercícios para melhorar, e se realmente é verdade que essa doença tem cura, porque meu braço não consegue ir para traz da cabeça nem com reza braba, rsrs!

Marinez disse...

Há dez anos atrás fiz cirurgia da capsulite adesiva do ombro direito com o DR. Ronaldo Mendes em Curitiba, foi um sucesso! Logo após a cirurgia fiquei alguns meses fazendo fisioterapia para manter e recuperar totalmente os meus movimentos. Graças a Deus recuperei, só que preciso sempre ficar atenta pois com o frio tende a começar a prender os movimentos.
Agora começou no outro braço. Voltei no meu médico e estamos começando o novo tratamento com fisioterapia, analgésicos potentes e possivelmente com bloqueio anestésico. Tudo de novo....espero que mais uma vez obtenha sucesso!

Anônimo disse...

Descobri rescentemente minha capsulite adesiva e estou comecando o tratamento, ja passei pela fase de dor intensa e estou com os movimentos do ombro congelados. Espero comecar a ver o resultado logo pois tenho dificuldades para dormir, me vestir e muitas outras coisas.

Anônimo disse...

Estou com capsulite adesiva do ombro direito desde 12 de abril de 2013. Acordei com dor intensa e sem conseguir movimentar o braço. Depois de contactar vários ortopedistas, lá encontrei um especialista em ombros que me segue desde novembro de 2013. Faço fisioterapia desde 18 de junho. Aplicaram-me 2 infiltrações (13 setembro e 7 de novembro).Vi parte da minha axila pela 1ª vez no dia 19 de setembro. Já completei 170 sessões de fisioterapia.Para todos os que sofrem do mesmo mal, tenham paciência. A dor está a diminuir, embora parte da rigidez se mantenha. Escrever isto há 3 semanas ainda era impensável. Um dia de cada vez é o que devemos viver e muita paciência.