Ebooks

INFORMAÇÃO IMPORTANTE
Infelizmente o 4shared bloqueou o acesso a conta onde eu armazenava os e-books (aparentemente tem algo haver com direitos autorais). Assim que tiver um novo site para armazenamento enviarei os links.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Influenza A. H1N1 Origem Suína

A gripe suína; Um tema que está na moda gerando pânico e atitudes desesperadas como a dor governo egípcio. que decidiu eliminar toda a população de porcos do país. Só que aparentemente as medidas de cuidados necessárias não são mais tão radicais quanto no início e as pessoas já não temem tanto o vírus.

Ora, alguns hão de perguntar: Qual foi o motivo de tanto pânico? afinal de contas esta gripe causou "apenas" 60 mortes nas cidade do México até o momento. E se não me falha a memória, a epidemia de dengue no Rio de Janeiro em 2008 matou muito mais do que esta "gripezinha". Bem, de certa forma isso é verdade. De acordo com dados atuais, nos EUA a letalidade foi de apenas 0,08% com 2,3% dos casos sendo internados. Esta estatística é semelhante aos da Influenza sazonal. Além disso a velocidade do aparecimento de novos casos parece estar em queda. Então conclui-se que foi feito muito barulho por nada, certo?

Quem afirma isso não poderia estar mais enganado. A grande questão por trás da Influenza A é a sua rápida transmissão entre humanos.

Vamos fazer um pequeno exercício mental: imaginem o que poderia ter acontecido se as medidas de precaução como o uso de máscaras e triagem de pacientes em aeroportos não tivessem sido adotadas? Provavelmente haveria a disseminação rápida do vírus pela população. Muita gente gripada... gente de todas as faixas etárias (crianças e idosos são a camada mais frágil e provavelmente a mortalidade estaria concentrada aqui) . . . gente de todas as classes sociais (imagine os hospitais públicos abarrotados de doentes - como foi na epidemia de dengue)

Teríamos assim como pacientes de alto risco:
• Crianças
• Adultos>65 anos
• Pessoas com comorbidades: doenças crônicas pumonares, cardiacas, pacientes imunodeprimidos (cancer, quimioterapia ou HIV)
• Mulheres grávidas

Em resumo: problema não reside na gravidade dos sintomas, mas sim na possibilidade de que em um curto espaço de tempo uma grande parcela da população adoeça praticamente ao mesmo tempo. Assim como no caso da dengue, os óbitos se concentrariam nos pacientes mais frágeis.
Nós fisioterapeutas também devemos estar atentos, para a possibilidade do aumento do número de casos, é bem provável que venhamos a atender pacientes com pnemonia infectados pelo H1N1.
Desta forma, as informações abaixo podem ser úteis.

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE:

As prioridades para os cuidados de todos os pacientes infectados pelo vírus Influenza A(H1N1) são a máscara médica ou cirúrgica e as medidas de higiene das mãos.

•Colocar máscara comum no paciente durante o deslocamento para o local de isolamento.
•O paciente triado deve ser alocado em local isolado e arejado, as janelas devem ser mantidas abertas e a porta fechada. O mínimo possível de pessoas deve entrar em contato com o paciente

PARA O PROFISSIONAL QUE ATENDERÁ DIRETAMENTE O PACIENTE DENTRO DO LOCAL DE ISOLAMENTO:

•máscara tipo respirador (N95, N99, N100, PFF2, PFF3).
•Caso indisponível, usar máscara médica ou cirúrgica.
•Capote longo não estéril limpo.
•Luvas de procedimento não estéreis
•Higienizar as mãos antes e depois de colocar os equipamentos de proteção individual com clorexidina ou álcool gel
•O paciente não deve ser atendido por funcionárias grávidas ou profissionais imunodeprimidos.
•Evitar tocar olhos, narinas e boca.
•Examinar o paciente com os equipamentos disponíveis no interior do local de isolamento (termômetro, estetoscópio, esfigmomanômetro).
•Os equipamentos deverão ser desinfetados antes e depois do uso com álcool a 70%
•Porta deve manter-se fechada.
•Restringir ao máximo o número de profissionais de saúde assistindo o paciente.
•Se houver suspeita de contaminação da máscara com secreções, desprezar após o uso.
•Desinfetar o óculos após uso com hipoclorito.
•Retirar e guardar a máscara
•Manter disponível dentro do quarto apenas materiais de consumo e permanentes essenciais à assistência do paciente (medicamentos, luvas e seringas para uso imediato).
•Os prontuários, canetas, celulares deverão permanecer fora do quarto. Restringir ao máximo a entrada de visitantes.
•Evitar o transporte do paciente pelo hospital
•Materiais para reprocessamento deverão sair ensacados
•Todo resíduo sólido gerado dentro do quarto, inclusive alimento, será armazenado em saco vermelho com símbolo material biológico infectante. Reduzir ao máximo o volume.
•O recolhimento e manuseio dos residuos, material reprocessado e roupas deve ser realizado com máscaras.

Eu sei que é muita informação, mas se você não se lembrar de tudo...

MÁSCARA
LAVAGEM DE MÃOS
DISTÂNCIA ENTRE PACIENTES



Ah ! Antes de terminar esta postagem, aviso aos interessados que deixei a música war pigs do Black Sabbath no Mp3tube.net aqui embaixo. É só clicar e ouvir este clássico.
METAAAAAAAAAAAAAAAAAL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
\m/ ( >"< ) \m/


Black Sabath - War pigs

Um comentário:

Gustavo disse...

Olá Humberto! Só para deixar um link depois vc pode colocar um post sobre ele, num sei se vc já conhece mas é um site excelente sobre ebooks em todas as areas.
http://www.avaxhome.ws Em breve te envio o banner de divulgação do curso.