Ebooks

INFORMAÇÃO IMPORTANTE
Infelizmente o 4shared bloqueou o acesso a conta onde eu armazenava os e-books (aparentemente tem algo haver com direitos autorais). Assim que tiver um novo site para armazenamento enviarei os links.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Cadeira de rodas também é esporte radical

Eu gosto de esportes radicais. Foi andando de skate que eu rompi o meu LCA aos 17 anos. Depois disso me acalmei um pouco, e hoje em dia ao invés de arriscar minha vida andando de skate, passei a arriscá-la comendo pastel frito e bolinho de aipim nos butecos do Rio de Janeiro. Isso sim é esporte radical !!!
Ao invés de fraturas, escoriações e entorses, o risco agora é o de infecção intestinal por salmonella sp, Escherichia coli, isso sem contar o botulismo e a difteria. Além de garantir adrenalina e alguns kilos extras, este esporte estimula o sistema imunológico.
Mas o post de hoje não é sobre a incrível resistência dos meus intestinos, mas sim sobre usos radicais das cadeiras de rodas.
Quem acha que o cadeirante deveria se limitar aos tradicionais esportes adaptados paraolímpicos, deveria rever seus conceitos. Dá pra ser muito mais radical do que isso: Veja as fotos abaixo de dois sujeitos fazendo crowd surfing. Para quem não sabe, crowd surfing é aquele lance de se jogar do palco em um show de rock e ser carregado pela multidão.

A primeira foto é de um show de uma banda de metal chamada Bolt Thrower. Aqui uma pequena observação: Em shows de metal as pessoas sobem no palco, dão alguns passos pra trás, correm e se jogam na multidão, isso se chama "mosh" e também é outro esporte radical, pois neguinho pode decidir não te segurar apenas poucos segundo antes de você tocar o solo lhe deixando com traumatismos múltiplos, incluindo TCE e TRM.

Aqui embaixo é um crowd surfing mais tranquilo, não sei quem está tocando, mas a multidão parece feliz e tranquila (deve ser o show de abertura). Veja a gentileza com que as pessoas carregam o sujeito.


Legal não é?
Mas além disso tem outros esportes radicais. Nesta postagem estou falando de coisas feitas com cadeira de rodas. Deixe-me explicar: Um paraplégico saltar de paraquedas amarrado ao instrutor é uma coisa relativamente simples de ser feita. O difícil seria fazer como o cara do vídeo abaixo que fez bungeejump COM a cadeira de rodas! Vame uma menção honrosa aos instrutores que subiram a escadaria carregando a cadeira de rodas.



Mas não acabou não, tem também um cara que voa de parapente (aqui chamado de para-paragliding)



Pois é, vejam esta matéria da ESPM sobre Aaron Fotherigam, um adolescente com mielomeningocele que inventou um novo esporte: Extreme sitting. Trata-se de usar cadeira de rodas em uma pista de skate e fazer manobras. Esse garoto é demais. Só fiquei preocupado com a manobra mais radical dele : um backflip (é o nome afrescalhado para salto mortal em pista de skate). Quem não tiver saco de assistir a todos os vídeos, recomendo assistir apenas ao último (são só 15 segundos). Dá pra ver que ele corria o sério risco de entrar paraplégico na pista de skate e sair tetraplégico.



Olha o backflip!

Um comentário:

Dani Souto disse...

lEGAL VER ESSES VIDEOS. TIVE A OPORTUNIDADE DE VER O BASQUETE EM CADEIRA DE RODAS NO PAN DO RIO EM 2007. SENSACIONAL A MONBILIDADE E A CATEGORIA DESSAS PESSOAS EM CADEIRA DE RODAS.

ABRAÇO HUMBERTO!