Ebooks

INFORMAÇÃO IMPORTANTE
Infelizmente o 4shared bloqueou o acesso a conta onde eu armazenava os e-books (aparentemente tem algo haver com direitos autorais). Assim que tiver um novo site para armazenamento enviarei os links.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Diga NÃO ao ato médico

Olá Pessoal,
Mais uma postagem sobre o Ato médico. Recebi hoje o e-mail de uma amiga que é Terapeuta Ocupacional divulgando o site http://www.atomediconao.com.br/.
Acredito que neste momento os donos do site estejam reformulando os links para enviar e-mail diretamente para os senadores, pois sempre que tento dá erro na postagem.

Enquanto isso, leia o texto abaixo e imagine o mundo após a aprovação da PL 7.703-A

--------------------------------------------------

Resposta de um fisioterapeuta ao ATO MÉDICO!



"Caros senhores favoráveis ao Ato Médico,
Se o grande problema é "prescrever", por favor, preciso que me prescrevam um tratamento fisioterapêutico para um paciente de 45 anos com uma tendinopatia crônica do tendão do músculo supra-espinhoso, apresentando calcificação no tendão. Ele apresenta história ocupacional de trabalho com elevação dosmembros superiores acima do nível da cabeça (é vendedor de loja de roupas). Como é ex-jogador de voleibol, desenvolveu lesão do nervo supra-escapular, que culminou numa atrofia do músculo infra-espinhoso. Devido a distúrbios hormonais, desenvolveu osteoporose. Na avaliação, apresentou restrição damobilidade da cápsula posterior do ombro, fraqueza dos músculos rotadores internos do úmero (grau 3), além de fraqueza de serrátil anterior e trapézio fibras inferiores (graus 4 para os dois músculos).
A articulação esterno-clavicular também tem sua mobilidade diminuída.O que devo fazer, Dr.? Como posso fazer para restaurar a mobilidade da articulação? O que é mais indicado: mobilização articular ou alongamento? No caso de ser mobilização, que grau devo utilizar? No caso de ser alongamento, é preferível o alongamento ser estático ou balístico? Ou seria melhorutilizar de contração-relaxamento? Qual o tempo adequado de manutenção do alongamento? Ou será que é tudo contra inidicado, devido à osteoporose?
Com relação ao fortalecimento dos rotadores internos do úmero, qual exercício seria mais indicado para fortalecer o músculo sub-escapular, importante na estabilização dinâmica da articulação gleno-umeral? Devo usar thera-band, halteres, resistência manual ou simplesmente realizar exercícios ativos livres?Com relação ao serrátil anterior qual exercício seria mais indicado? Push-ups? Protração resistida? Exercícios ativos apenas, simulando atividades funcionais e procurando evitar movimentos escapulares anormais? Tudo isso? Nada disso? E se ele utilizar de compensações para a realização dos exercícios, como devo proceder? Com relação ao trapézio inferior, é melhor fazer o exercício contra ou a favor da gravidade? Devo ou não utilizar de movimentos ativo assistidos?Qual o melhor exercício? Existe tal exercício?
No caso da restrição da articulação esterno-clavicular, é necessário corrigir essa alteração de mobilidade? Se for, é possível corrigí-la? Como proceder. Tem contra-indicações ou precauções? Não podemos esquecer de tratar também o tecido lesado (tendão do supra-espinhoso). Ele apresenta dor moderada ao elevar o membro superior D acima de 90 graus, que diminui a praticamente zero ao abaixar o braço. É necessára analgesia? Se for, que forma TENS? Qual a modulação (frequência, comprimento de onda, duração e intensidade)? Ou será que crioterapia é melhor? Em qual forma de aplicação? Por quanto tempo? Ou será que nenhumaanalgesia é necessária?O que posso fazer para estimular o reparo do tendão? US (quantos MHz?Quantos W/cm2? por quanto tempo? Onde aplicar?), Laser (qual a intensidade? duração? tem contra-indicações?), exercícios (excêntricos, concêntricos, isométricos, resisitidos, livres? quantas séries e repetições? Qual o intervalo entre séries? Quantos RM? Devo fazer todos os dias ou não? É contra-indicado exercício?). Como posso fazer um exercício para supra-espinhoso?
Por favor, repassem essa mensagem com urgência para todos os médicos com competência para me ajudar, pois estou com o paciente afastado do trabalho por invalidez e continuo aguardando a "prescrição médica da fisioterapia", já que sem a "prescrição médica", segundo o ato médico, não posso fazer nada e nós todos os brasileiros, inclusive os médicos estamos pagando para ele não trabalhar. Não deixemos esse afastametno virar aposentadoria!Concluindo: Sim ao ato médico, desde que os médicos estudem na faculdade todo o conteúdo que outras 13 profissões da área de saúde têm em seu currículo.
Marco Tulio Saldanha dos Anjos
FisioterapeutaCREFITO-4

12 comentários:

Carol Dias disse...

Perfeito este texto. É tudo o que penso e vivo comentando sobre o ATO MÉDICO. Falei sobre isto no dia do fisioterapeuta num programa de rádio de saúde em minha cidade. Vou copiar o texto e divulgar por e-mail a todos os colegas. Abraço;

Geraldo Barbosa disse...

Marco Tulio,
parabéns pelo excelente texto. É tudo que precisava ser dito sobre a questão primordial do PL do "Ato Médico", ou seja, a prescrição do tratamento. Outro ponto importante, porém pouco discutido, no meu entendimento, refere-se a reserva de mercado, aquele "corredor comercial" que não fica explícito, mas que é um dos sustentáculos do corporativismo
exacerbado.

Também é digno de parabéns O GUIA DO FISIOTERAPEUTA, pela oportuna postagem.

Um grande abraço para todos.

physioterapy disse...

RESPOSTA DE UM FISIOTERAPEUTA AO “ATO MÉDICO”
ED. LOPES, ALBERT DE CASTRO - UNIUBE
Caros senhores favoráveis ao “Ato Médico”, se o grande problema é
"prescrever", por favor, preciso que me prescrevam um tratamento fisioterapêutico para
um paciente de 45 anos com uma tendinopatia crônica do tendão do músculo supraespinhoso,
apresentando calcificação no tendão. Ele apresenta história ocupacional de
trabalho com elevação dos membros superiores acima do nível da cabeça (é vendedor
de loja de roupas).
Como é ex-jogador de voleibol, desenvolveu lesão do nervo supra-escapular,
que culminou numa atrofia do músculo infra-espinhoso. Devido a distúrbios hormonais,
desenvolveu osteoporose. Na avaliação, apresentou restrição da mobilidade da cápsula
posterior do ombro, fraqueza dos músculos rotadores internos do úmero (grau 3), além
de fraqueza de serrátil anterior e trapézio fibras inferiores (graus 4 para os dois
músculos). A articulação esterno-clavicular também tem sua mobilidade diminuída.
O que devo fazer, Dr.? Como posso fazer para restaurar a mobilidade da
articulação? O que é mais indicado: mobilização articular ou alongamento? No caso de
ser mobilização, que grau devo utilizar? No caso de ser alongamento, é preferível o
alongamento ser estático ou balístico? Ou seria melhor utilizar de contraçãorelaxamento?
Qual o tempo adequado de manutenção do alongamento? Ou será que é
tudo contra-indicado, devido à osteoporose?
Com relação ao fortalecimento dos rotadores internos do úmero, qual exercício
seria mais indicado para fortalecer o músculo sub-escapular, importante na estabilização
dinâmica da articulação gleno-umeral? Devo usar thera-band, halteres, resistência
manual ou simplesmente realizar exercícios ativos livres?
Com relação ao serrátil anterior qual exercício seria mais indicado?
Push-ups? Protração resistida? Exercícios ativos apenas, simulando atividades
funcionais e procurando evitar movimentos escapulares anormais?
Tudo isso? Nada disso? E se ele utilizar de compensações para a realização dos
exercícios, como devo proceder?
Com relação ao trapézio inferior, é melhor fazer o exercício contra ou a favor
da gravidade? Devo ou não utilizar de movimentos ativo-assistidos?
Qual o melhor exercício? Existe tal exercício?
No caso da restrição da articulação esterno-clavicular, é necessário corrigir
essa alteração de mobilidade? Se for, é possível corrigi-la? Como proceder. Tem contraindicações
ou precauções?
Não podemos nos esquecer de tratar também o tecido lesado (tendão do supraespinhoso).
Ele apresenta dor moderada ao elevar o membro superior D acima de 90
graus, que diminui a praticamente zero ao abaixar o braço. É necessária analgesia? Se
for, que forma TENS? Qual a modulação (frequência, comprimento de onda, duração e
intensidade)? Ou será que crioterapia é melhor? Em qual forma de aplicação? Por
quanto tempo? Ou será que nenhuma analgesia é necessária?
O que posso fazer para estimular o reparo do tendão? US (quantos MHz?
Quantos W/cm2? Por quanto tempo? Onde aplicar?), Laser (qual a intensidade?
duração? tem contra-indicações?), exercícios (excêntricos, concêntricos, isométricos,
resistidos, livres? quantas séries e repetições? Qual o intervalo entre séries? Quantos
RM? Devo fazer todos os dias ou não? É contra-indicado exercício?).
Como posso fazer um exercício para supra-espinhoso?
Por favor, repassem essa mensagem com urgência para todos os médicos com
competência para me ajudar, pois estou com o paciente afastado do trabalho por
invalidez e continuo aguardando a "prescrição médica da fisioterapia", já que sem a
"prescrição médica", segundo o ato médico, não posso fazer nada $e nós todos os
brasileiros, inclusive os médicos estamos pagando para ele não trabalhar. Não deixemos
esse afastamento virar aposentadoria!
Concluindo: Sim ao ato médico, desde que os médicos estudem na faculdade
todo o conteúdo que outras 13 profissões da área de saúde têm em seu currículo.
Ft. Marco Tulio Saldanha dos Anjos
CREFITO-4 51246-F

Lourenn disse...

Muito bom! Este texto precisa ser levado á leitura do maior número de pessoas possível e principalmente aqueles favoráveis ao absurdo que é a tentativa de ter uma única classe monopolizando todo o conhecimento de uma área. Idéia absurda!
Parábens ao autor e a quem postou! Muito bom mesmo!

Geraldo Barbosa disse...

O texto do colega Fisioterapeuta Marco Tulio está correndo solto pela Internet. Hoje recebí um e-mail de uma amiga Assistente Social, que me repassava o texto do Marco Tulio, informando tê-lo recebido de uma Terapeuta Ocupacional.A corrente se forma a partir daí.

BorboFisio disse...

Marco Tulio, meus parabéns, adorei teu texto, muito bem escrito.
Espero que os médicos, prestem a devida atenção, e realmente vejam, que eles não tem condições de fazer o nosso trbalho com excelência.Cada um, faz o que sabe fazer.Parem de misturar as coisas.

Anônimo disse...

todo mundo fisioterapeuta né??? afffff bando de gente que qerria ser medico e nao conseguiu.......... deve ter tentado mil vezes e nao passarm... lamento!!!

Anônimo disse...

galera!!! leiam primeiro o que é ato medico, depois comentem! acho que ninguem ainda leu ...lamento denovo!

Humberto Neto disse...

Ora ilustre anônimo ou anônima,
O guia do fisioterapeuta é um espaço democrático, no qual permito a livre expressão de opiniões, desde que mantidas as regras básicas de educação e civilidade.
Gostaria de aproveitar, já que o senhor ou senhora lamenta tanto nossa postura, que nos explique o ato médico, trazendo luz para as trevas de nossa ignorância. Porém lhe advirto (a): Esteja preparado(a) para um debate sério e fundamentado. Infantilidades e boçalidades como a que vc escreveu não serão toleradas. O espaço está disponível para o debate. Caso prefira entrar em contato por e-mail, meu endereço é hlcneto@hucff.ufrj.br.
Atenciosamente
Humberto

Fabi disse...

Concordo com as pessoas que falaram que cada um deve fazer o que sabe. Mas como ortopedista, cansei de ver fisioterapeutas mandando recados pelos pacientes, após analisarem radiografias ou comentando sobre tratamento instituídos pelo médico. Não cabe ao fisioterapeuta indica ou não uma cirurgia, tão quanto falar que o RX está assim e deveria estar de outra forma. Assim como não cabe ao médico definir se o halter ou a faixa elástica é melhor para um exercício contra-resistência. O que todos têm que ter em mente que as 2 profissões são interdependentes e se houver diálogo e colaboração, o único que sai ganhando é o paciente.

Marcos Hortz disse...

Prescrição de medicamentos é DIFERENTE de prescrição de terapia fisioterapêutica!

§ 2º Não são privativos dos médicos os diagnósticos psicológico, nutricional e socioambiental e as avaliações comportamental e das capacidades
mental, sensorial e perceptocognitiva e psicomotora.
§ 7º São resguardadas as competências específicas das profissões de
assistente social, biólogo, biomédico, enfermeiro, farmacêutico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, nutricionista, profissional de educação física, psicólogo, terapeuta ocupacional e técnico e tecnólogo de radiologia e outras profissões correlatas que vierem a ser regulamentadas.

Minha legislação resguarda a sua profissão! Por que não respeitar a minha?
LEIAM ANTES! DEPOIS CRITIQUEM!

Sheel disse...

"Não são privativos do médico os diagnósticos funcional, cinésio-funcional, psicológico, nutricional e ambiental, e as avaliações comportamental e das capacidades mental, sensorial e perceptocognitiva."

Trecho do Ato Médico.

Sou estudante de Fisioterapia e não acho que o Ato Médico vá interferir tanto assim na nossa profissão.