Ebooks

INFORMAÇÃO IMPORTANTE
Infelizmente o 4shared bloqueou o acesso a conta onde eu armazenava os e-books (aparentemente tem algo haver com direitos autorais). Assim que tiver um novo site para armazenamento enviarei os links.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Prova Comentada - Fisioterapeuta PM RJ Pediátrica e Neonatal 2010 Quatões 11 a 20

Questão 11
Considerando a teoria dos sistemas dinâmicos, ao observar uma criança diplégica engatinhando, verificamos variações em seu padrão de movimento a medida que a tarefa é realizada. Dentre os parâmetros que estarão influenciando tal modificação podemos indicar
(A) espasticidade ao movimento e comprimento dos membros.
(B) velocidade e freqüência da oscilação dos movimentos.
(C) comprimento dos membros e velocidade do movimento.
(D) compreensão da tarefa e espasticidade ao movimento.

Esta questão é sobre teorias do controle motor. Atualmente, a teoria dos sistemas dinâmicos tem sido muito discutida por conseguir responder várias questões a respeito do desenvolvimento motor. De acordo com esta teoria, é através da autoorganização entre outros princípios. que se pode entender a emergência de novas formas de comportamento sobre a ação do tempo real no curso do desenvolvimento. Complicado? Também achei. Pra ser sincero,fiquei entre as alternativas A e D. Porém a explicação é complexa demais para ser exposta em uma única postagem. Mas qum quiser aprender um pouco mais, pode acessar os links abaixo:

DESENVOLVIMENTO MOTOR NA TEORIA DOS SISTEMAS DINÂMICOS

Controle Motor: Estrutura Teórica

Questão 12
No tratamento de crianças com artrogripose múltipla congênita, para facilitar a aquisição de tarefas do desenvolvimento, alem de outras condutas, são indicados a mobilização articular e o alongamento passivo. Com relação a afirmação acima, marque a opção correta.
(A) O alongamento inicia-se ao nascimento e deve ser realizado, forçando-se a articulação alem do limite articular encontrado.
(B) O alongamento inicia-se logo apos o nascimento e deve sempre respeitar o limite final da amplitude de movimento.
(C) O alongamento só poderá ser realizado apos o período de aproximadamente 6 meses de utilização de aparelho gessado.
(D) O alongamento deve ser iniciado somente apos os procedimentos cirúrgicos necessários para não lesar a articulação.

O tratamento da artrogripose é complexo, devido à presença de deformidades em múltiplas articulações e pela rigidez das estruturas periarticulares. Eu encontrei dois artigos que citam que o tratamento é iniciado já nos primeiros dias de vida com a manipulação passiva de todas as articulações contraturadas. (REF1 e REF2) Portanto, se o tratamento deve ser precoce, então concluímos que as alternativas C e D são falsas.
Em relação à alternativa A temos aqui duas afirmações assustadoras:
“O alongamento inicia-se ao nascimento” Ora, não se respeita mais a primeira mamada? A criança já nasce e vai logo pro alongamento? Cruz Credo!; e “forçando-se a articulação alem do limite articular encontrado” Fazer isso em um lactente é pedir pra fazer uma iatrogenia, tanto pelo sofrimento causado à criança quanto pelo risco de fratura. Duvida? Experimenta forçar o seu cotovelo além do limite articular encontrado pra ver o que te acontece...
Portanto o gabarito é Alternativa B

Questão 13
Na avaliação motora inicial da criança com seqüela de espinha bífida aberta, é importante
(A) verificar o nível funcional, independente dos resultados encontrados no teste muscular.
(B) considerar os resultados do teste muscular correlacionando com o nível funcional.
(C) considerar que a forca muscular residual dependerá do nível intelectual encontrado.
(D) verificar o nível intelectual e correlacioná-lo ao nível funcional encontrado no teste físico.

Ok galera, embora seja possível deduzir a resposta com certa facilidade, esta questão levanta uma questão que na prática é altamente relevante para o tratamento. Então vamos começar pelo começo:
Na espinha bífida, ocorre má formação da medula e das raízes nervosas, desta forma, os nervos envolvidos podem ser incapazes de controlar a musculatura correspondente, determinando paralisias em graus variados. Uma das classificações mais utilizadas para o nível funcional em casos de espinha bífida é a Classificação em quatro níveis de lesão: nível torácico, nível lombar alto, nível lombar baixo e nível sacral.
Porém, o Nível Funcional não é necessariamente o nível medular mais baixo onde a função motora está preservada, mas sim, o nível onde os músculos conseguem realizar seu papel de forma funcional. Ex: Eu posso ter um garoto classificado no nível funcional lombar alto, mas que apresenta sensibilidade e até alguma atividade voluntária nos músculos do quadril e joelho, porém não consegue ficar de pé e nem engatinhar por conta de espasticidade (devido a uma medula ancorada) e contraturas articulares. Então, apesar de ter motricidade compatível com a categoria de lombar baixa, estes músculos não são funcionais devido ao encurtamento e espasticidade.
Não sei se confundi mais do que ajudei...
De qualquer forma, vamos analisar as alternativas: Alternativa C e D fazem menção a um tal de nível intelectual (????) como medir nível intelectual em crianças? Teste de QI? Por meio de perguntas sobre a vida e a obra dos filósofos Pré-Socráticos?, ou talvez uma redação sobre a atual perspectiva macroeconômica das indústrias petrolíferas e seu papel no desenvolvimento de tecnologias sustentáveis no século XXI ? Descartem a C e D, por favor...
Em relação às alternativas A e B, acho que a minha longa explicação inicial justifica a alternativa B como correta.
Gabarito: alternativa B


Questão 14
O avanço na medicina tem proporcionado melhores condições de vida para crianças com distrofia muscular. O uso de corticóides tem sido relatado como um recurso terapêutico de grande valor, entretanto a progressão da doença ainda não pode ser evitada. Dentre os recursos terapêuticos utilizados pela
fisioterapia, é correto afirmar que:
(A) exercícios de resistência e alongamentos devem ser estimulados para melhorar a fraqueza muscular e retardar a progressão das contraturas.
(B) exercícios ativos e alongamentos devem ser encorajados e exercícios resistidos desencorajados, em virtude do efeito prejudicial à estrutura muscular.
(C) exercícios ativos e exercícios resistidos devem ser estimulados, desencorajando-se a utilização de alongamentos, em virtude do efeito prejudicial à membrana muscular.
(D) são indicados exercícios ativos livres, resistidos, alongamentos e órteses de posicionamento para melhora da força muscular e retardo dos sintomas.

O termo Distrofia Muscular engloba um grupo de doenças genéticas, que se caracterizam por uma degeneração progressiva do tecido muscular. Em outras palavras, os músculos tornam-se frágeis e se deterioram progressivamente.
Devido a esta fragilidade do músculo, recomenda-se evitar exercícios resistidos e alongamentos intensos pois estes podem acelerar a destruição muscular.
Desta forma, qualquer indicação de exercícios resistidos caracteriza uma resposta falsa. Assim, por simples exclusão chega-se ao gabarito desta questão.
Gabarito: Alternativa B

Questão 15
Durante o processo da doença de Perthes, a terapêutica utilizada e aceita e
(A) manter a mobilidade do quadril tanto quanto possível com o objetivo de prevenir contratura em flexão e adução.
(B) manter a mobilidade do quadril tanto quanto possível com o objetivo de prevenir contratura em rotação e adução.
(C) manter a mobilidade do quadril tanto quanto possível com o objetivo de prevenir contraturas em extensão e adução.
(D) manter a mobilidade do quadril tanto quanto possível com o objetivo de prevenir contraturas em flexão e abdução.

A doença de Legg-Calvé-Perthes é uma necrose isquêmica da cabeça femural. O quadro clínico é caracterizado por claudicação, dor e limitação da ADM principalmente da abdução, extensão e rotação medial do quadril.
Existe uma dissertação de mestrado que faz uma ótima revisão do tema (baixe aqui):
www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5140/.../GuilhermeCarlosBrech.pdf
Eu achei o enunciado desta questão mal elaborado. A doença de Legg Calvé pode ocasionar importante limitação da ADM, principalmente para os movimentos de abdução e extensão de quadril. Porém, quando falamos em contratura em adução e flexão, isto dá a entender que o quadril estaria fixado em uma postura de adução (cruzando a linha média) e flexão. Não creio que isto aconteça. De fato, o que já vi acontecer (e é reforçado pela revisão da dissertação do link) é um bloqueio articular que limita a flexão e a abdução do quadril. – ou seja: estaria ocorrendo um encurtamento ou contratura dos adutores e extensores do quadril, mas não ao ponto extremo de cruzar o plano anatômico destes movimentos.
Sendo assim, Gabarito: Alternativa A

Questão 16
As alterações estruturais anatômicas envolvidas na deformidade em equinovaro congênita são:
(A) deslocamento do navicular, calcâneo e cubóide ao redor do talus.
(B) deslocamento do cubóide, calcâneo e cuneiformes ao redor do talus.
(C) deslocamento do cuneiforme, navicular e cubóide ao redor do talus.
(D) deslocamento do calcâneo, cubóide e cuneiforme ao redor do navicular
.

Segundo o livro “Ortopedia e Traumatologia – princípios e prática”, mais conhecido como “Sizínio”, o Tálus é a principal causa de deformidade em casos de Pé Torto. (assim, podemos excluir a alternativa D, pois ela não inclui o Tálus entre os ossos envolvidos). Aparentemente, as principais alterações estruturais estão relacionadas ao Calcâneo, Cubóide e Navicular. Para responder esta questão, além da decoreba, poderiam ser utilizadas noções de anatomia. Os cuneiformes se articulam com o navicular e não com o tálus, como é sugerido nas alternativas B e C (sendo que na C, o enunciado cita apenas “cuneiforme” sem especificar a qual dos 3.se refere).
Gabarito: Alternativa A

Questão 17
Para evitar a progressão da rigidez do complexo gastrocnemio-soleo em crianças com Distrofia Muscular de Duchenne, o(s) melhor(es) recurso(s) e(são)
(A) sessões prolongadas de alongamentos domiciliares, com varias repetições.
(B) a utilização de órteses tornozelo-pé articulada durante 24 horas do dia.
(C) alongamentos regulares e utilização de órteses de posicionamento noturno.
(D) alongamentos associados ao fortalecimento da musculatura antagônica.

Outra questão sobre distrofia muscular (a banca gosta mesmo deste tema ! ! )
Muito bem, já vimos que em casos de distrofia muscular, existe uma fragilidade do tecido muscular. Assim, é prudente evitar exercícios contra-resistência e alongamentos intensos. Assim, a questão A pode ser eliminada, pois envolve alongamentos prolongados e com várias repetições, o que pode aumentar a chance de lesão muscular. A alternativa B também pode ser excluída pois uma órtese tornozelo-pé articulada 24hs implicaria em peso e resistência para a marcha. Para uma criança com Duchenne, isto certamente aceleraria a degeneração muscular. A alternativa C é bem neutra. Não faz menção à intensidade do alongamento e as órteses noturnas de posicionamento não colocam o músculo sob tensão, o que evitaria as lesões musculares nestes pacientes. Finalmente, a alternativa D faz menção ao fortalecimento dos antagonistas. Embora não cite se este fortalecimento seria ativo-livre ou resistido, o que faz desta alternativa uma resposta aceitável, ainda assim a alternativa C é mais correta.
Gabarito: Alternativa C

Questão 18
No tratamento do bebê com torcicolo muscular congênito à direita, na idade de 4 meses, quais atividades do desenvolvimento motor normal devem ser enfatizadas para o fortalecimento do ECOM alongado?
(A) Rolar de supino para decúbito lateral esquerdo e estimular o controle da elevação da cabeça em prono.
(B) Rolar de supino para decubito lateral direito e estimular o controle da elevação da cabeça em prono.
(C) Rolar de supino para decúbito lateral esquerdo e incentivar o endireitamento lateral da cabeça para a direita.
(D) Rolar de supino para decúbito lateral esquerdo e incentivar o endireitamento lateral da cabeça para a esquerda.

Eu não entendi o enunciado desta questão. A banca não informa se a criança fez ou não cirurgia e no final quer saber como fortalecer (?) o ECOM alongado (?????).
Vou considerar apenas a necessidade de alongamento do músculo e ignorar este fortalecimento (até porquê nenhuma das alternativas envolve atividades que causem contração do ECOM afetado).
Em casos de torcicolo congênito, a cabeça fica inclinada para o lado do músculo afetado e rodada para o lado oposto devido a contratura do ECOM. Portanto, o bebê do caso clínico apresenta-se com a cabeça inclinada para a direita e ligeiramente rodada para a esquerda. Assim, para alongar basta estimular atividades que gerem rotação para direita e inclinação para esquerda. AS alternativas envolvem 3 atividades: Rolar de supino para DL, controle de cabeça em prono e endireitamento lateral da cabeça. Vamos analisar cada uma delas:
#1 Ao rolar de supino para decúbito lateral (considerando uma criança sem disfunção neuromotora), o bebê irá inicialmente girar a cabeça para o lado estimulado antes de iniciar o rolar. Desta forma estimulando o alongamento do componente rotacional do movimento para o mesmo lado do ECOM afetado.
#2 Para manter a cabeça elevada em prono, a criança precisa ativar os dois ECOMs (a ativação de ambos causa extensão capital) de forma controlada e equilibrada. No caso do torcicolo, a tendência será a criança manter a cabeça inclinada e rodada.
#3 Estimular o endireitamento lateral da cabeça. O endireitamento pode ser entendido como uma reação na qual o paciente busca corrigir a orientação da cabeça com o horizonte. Então se você colocar a criança em decúbito lateral direito e a estimular a corrigir a postura de modo que olhe para o horizonte ainda em DL direito, ela tenderá a alongar o ECOM Direito.
Portanto: Gabarito alternativa D


Questão 19
Considerando a artrite idiopática juvenil, e correto afirmar que
I. a hipertermia superficial pode ser usada nessa patologia.
II. exercícios passivos e alongamento são indicados na fase aguda.
III. exercícios com resistência progressiva são indicados na fase subaguda.
IV. o paciente deve ser mantido somente em repouso na fase aguda.
V. exercícios através da isometria são indicados na fase aguda.

Estao corretas as afirmativas
(A) I, III e V.
(B) I, II e III.
(C) II, IV e V.
(D) II, III e IV.

Alternativa I – O calor superficial pode sim ser utilizado para redução da dor na fase aguda da AIJ Fonte: http://www.scielo.br/pdf/rbr/v47n3/09.pdf. No caso da hipertermia, o que é contra-indicado é o uso de calor profundo, pois este poderia estimular ainda mais o processo inflamatório.
Desta forma, alternativa I está correta

Alternativa II – exercícios passivos e alongamentos, podem desencadear dor. De fato, em termos de atividade passiva na fase aguda, apenas a mobilização dentro do limite da dor é recomendada. Portanto, alternativa II está errada

Alternativa III – Sim, atividades resistidas podem e devem ser utilizadas por pacientes com AIJ, fora da fase aguda. Fonte : http://www.sbafs.org.br/_artigos/93.pdf

Portanto, alternativa III é verdadeira

Alternativa IV – Sigo a mesma fonte citada acima... o repouso absoluto é prejudicial a estes pacientes.

Alternativa V – Mais uma vez, pacientes não devem ficar em repouso absoluto. A isometria na fase aguda é recomendada.

Gabarito: Alternativa A

http://www.revistadigitalvidaesaude.hpg.com.br/artv1n3_03.pdf

http://docs.google.com/viewer?a=v&q=cache:_rK4mpq9uCIJ:xa.yimg.com/kq/groups/21505141/918831356/name/II.28_AIJ.pdf+%22artrite+idiop%C3%A1tica+juvenil%22+fisioterapia+fase+aguda&hl=pt-BR&gl=br&pid=bl&srcid=ADGEESjhF0ZATqGAuFRiRPhIocQnLzMR3KZ1w2RtcmBqtWv7K9IRx_cTU9iDaWBcYpYdZGTggIOPzbGokIQm2PebGJld7HSFd2x1BtsOYNLv6AywcCF-pBleJjVj9F_26TsyMuPayuS1&sig=AHIEtbSDt_7K8aI9-9EXUzpGIw4zw1aEdw

http://www.projetodiretrizes.org.br/projeto_diretrizes/015.pdf


Questão 20
A paralisia braquial obstétrica do tipo Erb-Duchenne cursa com déficit funcional principalmente para
(A) rotação medial de ombro.
(B) extensão de punho.
(C) rotação lateral de ombro.
(D) extensão de dedos.

Pacientes com paralisia de Erb Duchenne, apresentam uma postura característica com o braço ao lado do corpo, em rotação interna com antebraço estendido e pronado, conhecida como “postura da gorjeta do garçom”. A paralisia do bíceps braquial é a principal causa desta posição.
Ora, se o braço está rodado internamente, o déficit existente está no movimento oposto a esta postura viciosa. Portanto, o déficit funcional está relacionado a rotação lateral do braço.
Gabarito: Alternativa C

9 comentários:

Rhayssa Rhaquel disse...

Muito legal as questões comentadas, assim q puder poste outras.

Paula de Godoy disse...

Achei muito bom a prova comentada, eu estou pensando em fazer alguma prova de aprimoramento em pediatria e ajudou a ter um pouco de noção de como... bom, não é fácil. Parabéns pelo blog, apesar de ser a primeira vez que eu comento eu o acompanho há algum tempo. Você possui um material valioso aqui, continue assim. Um beijo.

André Pereira disse...

Blog mto bom, otimas questões . Parabéns!
Amo fisioterapia e esse blog me fez gostar mais e mais ahha
abraço.

CONCURSOS FISIOTERAPIA disse...

Galera este é o novo blog do renomado professor marcos que agora ta estruturando um blog só com analise de questões de concursos

http://concursosdefisioterapia.blogspot.com/

Anônimo disse...

Muito bom esse blog essas provas cometanda é tudo de bom!!!

Up-Filmes_Matotrevas disse...

Olá. Com relação a questão 14 eu acho que está errada;.
Tanto a resposta feita quanto o gabarito.
Nas distrofias musculares há um predominio de fraqueza e assim atrofia muscular com contraturas.
O uso de alongamento, órteses e sempre são recomentado.
Além de que, o exercicio resistido melhora a força da musculatura.
Se naum, como iremos reabilitar a fraqueza progressiva da musculatura sem fortalecimento?
Pra mim a resposta correta seria a LETRA D. O gabarito estaria errado e então teria que entrar com recurso da literatura, que é bem clara com relação a esse assunto
T+

Up-Filmes_Matotrevas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Up-Filmes_Matotrevas disse...

Questão 15
Obs:

Os adutores de quadril não fazem apenas adução pura e sim, adução, flexão e rotação lateral do quadril.
Essa flexão não é uma de 90 ou 120º...apenas levemente fletidos, até pq não são flexores primários do quadril.
Se ocorre contratura dos ADUTORES, então eles estão:
Aduzidos, "levemente fletidos em quadril" e com o fêmur rodado externamente.
Com a sinergia em massa e o desenvolvimento das futuras contraturas que assim se
desenvolvem (contratura tbém dos musculos rotadores laterais de quadril P.Oie.Gsi.Q),
a criança teria uma "tendencia" a contraturar mais os musculos na posição de flexão e rotação externa de quadril.
Além de que, teria grande influencia tbém dos musculos flexores de quadril que iriam "maximizar" ainda mais essa
flexão de quadril.

Com relação ao trecho:

""De fato, o que já vi acontecer (e é reforçado pela revisão da dissertação do link) é um bloqueio
articular que limita a flexão e a abdução do quadril. – ou seja: estaria ocorrendo um encurtamento ou contratura dos
adutores e extensores do quadril, mas não ao ponto extremo de cruzar o plano anatômico destes movimentos.""

Estaria acontecendo um "bloqueio muscular " ou limitação a flexão abdução do quadril, ou seja, contratura
em adução e flexão do quadril, que poderia sim, cruzar a linha média do quadril.

Sendo assim, Gabarito: Alternativa A

Não podemos pensar em cinesiologia e biomecanica pensando em uma articulação ou um musculo ou um grupo muscular.
Muitas vezes devido a isso, deixamos realmente de entendê-los e até mesmo corrigi-los. Com isso acabamos caindo
no alonga tudo e fortalece tudo, como no artigo citado acima e nem sempre é assim.
t+

Up-Filmes_Matotrevas disse...

Questão 17:

Pra falar a verdade essa prova esta uma bomba.
Muito mal elaborada e com duplo sentido ou momento, por isso devemos ficar espertos.

Questão 17:

o trecho....

""A alternativa C é bem neutra. Não faz menção à intensidade do alongamento e as órteses noturnas de posicionamento
não colocam o músculo sob tensão, o que evitaria as lesões musculares nestes pacientes. """

Na verdade ela é bem DIRETA e a intenção da órtese é apenas o posicionamento articular para prevenir o aumento do encurtamento
do musculos soleo e gastrocnemio ou a perca, dos graus que vc ganhou alongando durante o dia...nem sei da onde surgiria essa
LESAO MUSCULAR ai.

Fortalecimento é fortalecimento, não importa a forma. Se tivesse citado teria outros criterios, indicação ou não;
Na letra D, cita apenas alongamento...e depois o fortalecimento dos antagonista.
Muitas das contraturas levam alguns desses pacientes a andarem sempre na ponta dos pés, o que direciona mais ainda pra letra C.
Na minha humilde opinião fortalecer musculos antagonista [ tibial anterior, o extensor longo dos dedos e o fibular terceiro ]
do contraturado triceps sural não resolveria iniciantemente, a não ser que vc já não tivesse mais uma
CONTRATURA DE TRICEPS SURAL, para assim tentar manter o equilibrio da musculatura agonista e antagonista.

Resposta:
tbem iria de C