Ebooks

INFORMAÇÃO IMPORTANTE
Infelizmente o 4shared bloqueou o acesso a conta onde eu armazenava os e-books (aparentemente tem algo haver com direitos autorais). Assim que tiver um novo site para armazenamento enviarei os links.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Algumas curiosidades sobre os nomes anatômicos



Uma das primeiras disciplinas da faculdade de fisioterapia é a de anatomia humana. Lembro como se fosse ontem, meus olhos lacrimejando por causa do formol, costumava passar horas no anatômico estudando músculos, ligamentos e ossos. Sempre achei sem graça coisas que envolviam memorização . . . e anatomia era uma delas, até que muito tempo depois de formado fui trabalhar com um médico coroa, já beirando os 60 anos, mas que era PhD em termos de conhecimento clínico, e uma verdadeira enciclopédia de fatos curiosos divertidos e inúteis da história da medicina.
De vez em quando ficávamos conversando sobre a origem de termos e nomes anatômicos. Na minha opinião isso torna o estudo da anatomia muito mais rico, principalmente para os estudantes dos primeiros períodos.
Pois bem, fiz um pequeno levantamento das curiosidades envolvidas nos nomes de algumas estruturas anatômicas. Espero que gostem.

ALGUNS NOMES DE ESTRUTURAS ANATÔMICAS E SEUS SIGNIFICADOS.  

Atlas – Quase todo mundo conhece a história por trás do nome da primeira vértebra, mas vale a pena relembrar. A vértebra C1 foi batizada com o nome de um Titã da mitologia grega chamado Atlas. Este Titã foi condenado por Zeus a sustentar por toda a eternidade o globo terrestre sobre seus ombros. Como a primeira vértebra cervical também sustenta sozinha todo o peso da cabeça, os anatomistas acharam que seria uma analogia justa e batizaram C1 como Atlas. 
Escultura representando Atlas e seu castigo de sustentar o mundo.  

Músculo – Vem do latim musculus, que significa pequeno rato, ou camundongo. Provavelmente este nome foi dado porque um músculo ao se contrair, parece um pequeno rato andando por baixo de um lençol.

Acetábulo – Vem do latim acetabulum, e significa literalmente "copo raso de vinagre”. Recebeu este nome devido a sua semelhança com o formato do vaso que os romanos usavam para guardar vinagre (acetum), que era raso, de boca larga e arredondada. Fiquei curioso e procurei na internet a foto de um acetábulo só pra ver se são realmente semelhantes.  
Acetabulum romano

Clavícula – Em latim clavis significa chave, e originou a palavra clavícula que significa “pequena chave”. Existem algumas versões interessantes para explicar o nome dado a este osso. Uma delas afirma que o nome deve-se ao movimento que a clavícula faz de girar sobre o próprio eixo como uma chave; daí o nome. Uma outra versão, a qual não pude comprovar se era verdadeira ou apenas uma lenda, diz que os anatomistas clássicos acreditavam que a clavícula era o primeiro osso a se formar no feto e o último a se decompor após a morte. Assim, poeticamente falando, a clavícula seria a chave que abre e fecha as portas da vida.
Tatuagem de uma clavícula embaixo da clavícula 

Safena - A veia que leva esse nome é a mais longa do corpo. A origem desta palavra não é clara, sendo que existem duas explicações curiosamente conflitantes. A primeira sugere que safena vem do Grego saphenes, que significa visível, claro (que é o que acontece quando ela fica varicosa). A segunda explicação sugere que se trata de uma palavra que vem do árabe al-safin, que significa escondido (o que pode ser explicado, por sua posição profunda).  Ninguém sabe ao certo se ela recebeu o nome por ser escondida demais ou visível demais.

Xifóide (processo xifoide) – Na faculdade eu aprendi que o nome deste acidente anatômico se deve ao fato de que se por acaso você levar um tiro, facada, ou mesmo um soco bem no meio do peito, “você xifoide todo”. Obviamente essa versão era pura zuação de universitários. Na verdade, a pontinha final do esterno recebeu este nome devido a sua semelhança com um tipo específico de espada usada na Grécia antiga chamada  xiphos. Este tipo de espada é muito comum em filmes de gladiadores. A palavra xifoide é derivado da junção das palavras gregas xiphos e eidos (semelhante), literalmente “semelhante a xiphos”.


Sartório – Nas aulas de anatomia você provavelmente aprendeu que o sartório é o músculo do alfaiate. Pois bem, o nome deste músculo é derivado da palavra latina Sartor que significa exatamente alfaiate. Recebeu este nome porque os antigos alfaiates trabalhavam sentados com as pernas cruzadas. A ação deste músculo é justamente a de ajudar na flexão, abdução e rotação externa no quadril e na flexão de joelho.


Tibia - Esta palavra latina era usada para nomear tanto um tipo de flauta quanto o osso da perna. Os instrumentos de sopro primitivos eram feitos de madeira, chifres e ossos de animais, em particular do osso da perna de pássaros. Acredita-se que a flauta recebeu o nome do osso (tíbia) do qual era feita. A utilização do nome em medicina é atribuído a Celso (Aulo Cornélio Celso - 25 a.C.-50 d.C. Enciclopedista romano e possivelmente médico)

Patela - Uma panela ou prato em latim é uma patela. Desta vez o osso não parece se assemelhar nem um pouco com seu homônimo.

Fíbula - Fíbula é a palavra latina usada para descrever um alfinete para prender roupas, tipo um broche. Ela é derivada do latim figo, palavra que significa prender. Aparentemente os anatomistas antigos achavam que a fíbula se parecia com este objeto. Aliás, a fíbula era anteriormente conhecida como Peroneo. A palavra Peroneus significa exatamente a mesma coisa (alfinete), só que em Grego.

Vértebra - O antigo termo latino vertebra significava uma articulação ou algo que se poderia girar, e uma palavra derivada do latim verto que significa "para virar". Celso, em cerca de 30 dC, usou o termo para designar qualquer articulação, bem como os ossos da coluna vertebral. Foi somente muito tempo depois que o termo passou a ser usado exclusivamente para descrever os ossos da coluna vertebral.

Poplíteo – Esta palavra é derivada do Latim poples, que significa “cavidade do joelho” - que é justamente o que a fossa poplítea é.

Valva mitral – Esta válvula cardíaca possui duas cúspides. O formato lembra a mitra  - chapéu fendido nas laterais superiores, usado pelo papa e por bispos, arcebispos e cardeais em certas solenidades -. Foi chamada de valva Mitral por Andréas Vesálius, anatomista belga do século dezesseis.
Mitra e cajado do papa

Artéria – vem do grego aer, ar + terein, conter, guardar, ou seja: que contém ar. Os antigos anatomistas acreditavam que as artérias levavam ar ao corpo, já que sempre são encontradas vazias num corpo morto. 

Panturrilha. - Dá-se neste caso um fenômeno linguístico curioso. O termo técnico utilizado para traduzir em português o latim sura é panturrilha, cujo sentido é o mesmo da expressão popular “barriga da perna”. A denominação latina sura passou para o português, porém é pouco empregada, tendo sobrevivido quase que exclusivamente no adjetivo sural (relativo à panturrilha).

A palavra panturrilha provém do espanhol pantorrilla, derivada do latim pantex, icis, que significa barriga, tripas, intestinos. De pantex, icis formou-se igualmente pança com o mesmo sentido de barriga (espanhol, panza; francês, panse).

Panturra, em português, também significa barriga e empanturrado, em linguagem popular, é aquele que comeu em demasia. A comparação da face posterior da perna ao ventre remonta aos clássicos gregos. Hipócrates, Aristóteles e Galeno referem-se à face posterior da perna como gastroknemía ou gastroknéme, cujo significado é exatamente barriga da perna (gastér, ventre + knéme, perna). O nome grego foi aproveitado para designar um dos músculos que formam o tríceps sural - o músculo gastrocnêmio.

Trocanter -  A palavra trocanter é derivada da junção das palavras gregas trekhein, que significa correr e trokhos, que significa roda. Galeno originalmente nomeou a cabeça do fêmur como trocanter porque a cabeça do fêmur lembrava uma roda articulada dentro do acetábulo. Mais tarde o termo trocanter foi transferido para as projeções ósseas da parte proximal do fêmur, provavelmente em referência a sua função de inserção de músculos que produzem os movimentos rotatórios do fêmur.

SóleoSoleus é a palavra latina para uma espécie de sandália plana. A palavra “sola” de “sola do sapato” também é deriva de Soleus. O músculo sóleo é o mais plano e mais profundo dos músculos que compõem o tríceps sural.

Tendão de Aquiles - Aquiles é um dos mais famosos heróis gregos. Segundo a mitologia grega, Aquiles (Brad Pitt) tornou-se invulnerável quando ainda recém nascido foi mergulhado por sua mãe nas águas do rio Estige (rio que dava sete voltas no inferno). Este fato o tornou invulnerável, salvo pelo calcanhar que não foi banhado, pois a mãe o segurava por esta parte do corpo. Curiosidade: A expressão “calcanhar de Aquiles” é utilizada até os dias de hoje para representar o ponto fraco e vulnerável de uma pessoa.
Olha que coisa! Achei uma foto do Aquiles com uma Xiphos na mão! 


Falar de anatomia me lembrou de uma banda de metal  chamada Carcass. A temática dos caras era falar sobre anatomia, doenças e coisas nojentas. Abaixo um clipe que eu gosto muito, não só pela música mas também pela fotografia e pela homenagem no final do clipe a HR Giger, o designer que criou o monstro e o landscape da série Alien. Quem curte metal e não conhece deveria ouvir este clássico dos anos 90.





Até a próxima p-p-p-pessoal.

2 comentários:

Eliana Flor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eliana Flor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.