Ebooks

INFORMAÇÃO IMPORTANTE
Infelizmente o 4shared bloqueou o acesso a conta onde eu armazenava os e-books (aparentemente tem algo haver com direitos autorais). Assim que tiver um novo site para armazenamento enviarei os links.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Nebulizadores - informações relevantes


IMPORTANTE
Este texto é a continuação da postagem “aerossóis e fisioterapia” (clique AQUI para acessar a postagem anterior) e tem o objetivo de discutir apenas os princípios físicos e operacionais envolvidos na nebulização. 

INTRODUÇÃO
Como visto em uma postagem anterior, a medicação em aerossol é um componente importante do tratamento de muitas doenças respiratórias, e os dispositivos mais utilizados para gerar aerossóis são os nebulizadores. Seu uso é tão corriqueiro que muitas das vezes sequer damos atenção ao que estamos fazendo. Afinal de contas basta pingar o remédio no copinho com SF 0,9% , acionar a fonte de Oxigênio e  mandar o paciente respirar a fumacinha. Pronto, caso encerrado. Mas será que é só isso mesmo?
Você alguma vez já se perguntou se existe diferença, do ponto de vista terapêutico, entre nebulizar o paciente com um fluxo de 4 L de O2/min ou 10L de O2/min? ou se o Nebulizador Ultrasônico é mais eficiente do que o Nebulizador Convencional?
Pois é, cá estou eu novamente colocando pulgas atrás da orelha dos leitores incautos que chegaram a este blog atrás de informações rápidas e superficiais... para quem quer um texto asséptico, bem mastigadinho, recomendo a Wikipédia, mas para quem quiser ler o resultado de uma busca na internet, com informações interessantes e algumas pitadas de humor viking, recomendo que continue lendo esta postagem.   

Tipos básicos de nebulizadores 
Dois tipos de nebulizadores são amplamente utilizados no Brasil,: os nebulizadores a jato (também chamados de nebulizadores convencionais) e os nebulizadores ultra-sônicos.

NEBULIZADORES DE JATO
Devido ao seu baixo custo e eficácia clínica comparável em muitas situações os nebulizadores a jato são o tipo mais comumente usado de nebulizador na maioria dos países. Estes nebulizadores receberam este nome porque  utilizam um jato de oxigênio ou de ar comprimido para produzir a dispersão do líquido em pequenas partículas.

Principais fatores que afetam a efetividade de nebulizadores a jato
#1-Padrão respiratório: O padrão respiratório afeta a quantidade de aerossol depositada nas vias respiratórias mais distais. Para melhorar a penetração e deposição do aerossol durante a nebulização recomenda-se que o paciente realize inspirações profundas. Respirações muito rápidas aumentam a deposição na orofaringe e grandes vias aéreas, e respirações lentas,com boca aberta, aumentam a quantidade de medicamento que chega aos pulmões. Respiração nasal reduz em 50% da deposição pulmonar, sendo grande parte do aerossol depositada no terço anterior das fossas nasais.
#Importante #: A eficácia da nebulização também é significativamente reduzida em crianças que estejam chorando durante o tratamento.
#2- Máscara facial: O uso de máscara facial é efetivo e mais indicado para crianças; entretanto, uma percentagem da droga liberada impacta na face, outra se deposita no nariz e pode haver perda por má colocação da máscara. Em estudo in vitro a má colocação da máscara (2cm distante da face) reduziu a liberação da droga em 85%.
#3- Fluxo do jato: O fluxo do jato influi no tamanho das partículas. Quanto maior a pressão e o fluxo de ar comprimido, menor será o tamanho das partículas geradas. Em hospitais, um fluxo entre 6-8 litros por minuto gera partículas com tamanho aceitável. Fluxos menores que 6L/min são inadequados por gerarem partículas grandes demais.
#4- Tempo de Nebulização: A maioria da dose nebulizada é fornecida durante os primeiros cinco minutos, na maioria dos casos, e pouco benefício se ganha através da extensão do tempo de nebulização para além de 5 a 10 minutos.
#5- Outros fatores: Nível de cooperação do paciente e mudanças nos padrões de respiração, como ocorre com tosse persistente e choro.

Os nebulizadores de jato têm grande perda de medicamento devido ao seu débito constante durante a inspiração e expiração. O mecanismo de formação do aerossol não é simples - o fluxo de ar  ou oxigênio ao passar através de um pequeno orifício (Venturi), se expande, havendo queda brusca de sua pressão e grande aumento de sua velocidade. Por um efeito Bernoulli, o líquido do reservatório de inalação é sugado e são gerados aerossóis. Os maiores são retidos em anteparos, e se juntam ao restante do líquido do reservatório, para serem re-nebulizados, e os menores são inalados.

NEBULIZADORES ULTRASÔNICOS
Em um nebulizador ultra-sônico a energia gerada pela  vibração de um cristal piezoelétrico, é transmitida à superfície da solução de líquido com medicamento, gerando gotículas, que são liberadas da crista da onda líquida  na forma de aerossóis. Os Nebulizadores ultra-sônicos usualmente, produzem aerossóis maiores, fazem menos ruído, nebulizam mais rápido e são mais caros que os nebulizadores de jato. Não devem ser utilizados para nebulizar suspensões como budesonida. De modo geral admite-se que os nebulizadores ultra-sônicos geram aerossóis com maior diâmetro, causam maior deposição de droga na orofaringe e tosse,e o uso de nebulizadores ultrasonicos  está associado a broncoespasmo e resistência das vias aéreas, em alguns pacientes. A maior indicação dos nebulizadores ultra-sônicos é na fisioterapia respiratória, com intuito de aumentar a expectoração.

O mais interessante disso tudo é que apesar destes fatores serem fundamentais tanto para o sucesso terapêutico quanto para evitar desperdícios de recursos (medicamento, O2 e tempo), há pouca (ou nenhuma) divulgação do conteúdo teórico envolvido na nebulização.

REFERÊNCIAS

http://www.thepcrj.org/journ/vol16/16_2_71_81.pdf

http://hallowell.com/media/aerosol_delivery_guide.pdf

http://www.jornaldepneumologia.com.br/PDF/1998_24_3_8_portugues.pdf

http://www.sbpt.org.br/downloads/arquivos/COM_ASMA/Rev_Dispositivos_Inalat_Dr_Luiz_Pereira.pdf


5 comentários:

Anônimo disse...

Beleza de post! Trabalho com Fisioterapia na área hospitalar, já sabia algo dito aí em cima, mas muito me acrescentou.

Parabéns!

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto. Sou pai e aprendi muito.

Sabrina Bello disse...

Muito interessante o artigo. Fala-se muito e explica-se pouco sobre a importância e função de ambos inaladores por aí. O artigo me ajudou, definitivamente, a decidir qual inalador comprar. Eu tinha um velhinho, pneumático ou à jato, como você fala, mas acabou de quebrar e não podemos ficar sem, porque minha filha bebê e eu somos asmáticas. Além disso ela se acostumou a dormir com o barulho do inalador, fazendo uso dele somente com soro todas as noites, umidificando as vias aéreas por tabela. Enfim... Eu iria comprar um ultrassônico pela modinha e você me fez desistir e comprar um exatamente igual ao que eu já tinha.

gininh@ disse...

Nebulizadores ultrassônicos AQUECEM as partículas e por isso modificam o efeito de alguns medicamentos como os Corticóides Inalados (Clenil A, Pulmicort…), por isso, o ideal é usar os tradicionais nebulizadores a jato. E mais, não é recomendado nebulizar o paciente deitado porque o aproveitamento da medicação é mínima. Isso porque essa posição faz com que a absorção do medicamento na árvore respiratória brônquica seja diminuída.

FONTE: http://www.vidamaterna.com/nebulizadores-ultrassonicos-x-nebulizadores-a-ar-comprimido/

Mariangela disse...

Excelente post! Parabéns pela dedicação.