segunda-feira, 24 de julho de 2017

O rolar - Desenvolvimento motor normal

ATENÇÃO
Esta é uma postagem direcionada a profissionais de saúde. 
Não oriento exercícios e nem técnicas de estimulação pela internet.
Por favor não insista  



Introdução
O rolar é o movimento de troca postural de supino para prono e vice-versa por meio de uma rotação axial do corpo e é uma das primeiras grandes aquisições motoras do lactente. Para nós adultos isso pode parecer uma tarefa simples, mas para um bebê que ainda está aprendendo a controlar o próprio corpo este é um desafio e tanto para sua coordenação motora.

Na minha opinião, o rolar é um dos marcos motores mais fascinantes, pois representa a primeira expressão de independência do lactente. Ao aprender a rolar, o bebê passa a decidir em qual postura ele quer permanecer (por enquanto essas escolhas ainda limitam-se apenas ao prono, supino e decúbito lateral, mas nos próximos meses isso vai ter um upgrade). Além disso, a própria evolução do rolar (sim! o rolar evolui) reflete a maturação neurológica e o ganho de força muscular que acontecem nessa fase da vida.

O rolar é um movimento que não surge pronto. Ele apresenta uma evolução bastante peculiar. As primeiras experiências de rolar acontecem por volta dos 3 meses de idade. Nesta fase, embora não seja comum, pode acontecer do lactente rolar ocasionalmente de prono para decúbito lateral ou até mesmo para supino. Isso acontece porque as primeiras experiências de rolar geralmente ocorrem acidentalmente, no momento em que o lactente na posição prona eleva-se sobre os cotovelos e começa a experimentar a transferência de peso latero-lateral sobre os braços. Ao manter o peso sobre os antebraços, os ombros ainda não apresentam controle suficiente para suportar o peso, então os braços fazem adução e o lactente rola para lateral.

Obviamente que este é um rolar não intencional, e alguns autores nem consideram isso como rolar propriamente dito, mas vá lá! Quem garante que esse rolar acidental não foi sem querer querendo?
Os primeiros esboços de rolar (voluntário e controlado) surgem por volta dos 3-4 meses de vida e surgem a partir da reação cervical de retificação (uma reação automática na qual ao girar a cabeça para um dos lados, o restante do corpo acompanha o movimento para se realinhar com a cabeça). Este primeiro rolar é conhecido como “rolar em bloco” e recebe este nome porque o lactente gira mantendo as cinturas pélvica e escapular alinhadas, como se fossem uma única estrutura. Veja na figura abaixo como é o rolar em bloco.
O rolar em bloco


Interessante notar que até o quinto mês de vida, o rolar de prono para supino ainda acontece de forma acidental pois o lactente ainda não tem controle total dos membros. Este movimento vai se modificando e sofrendo aprimoramentos. No quinto mês, o bebê rola usando extensão como primeiro componente, mas ainda não apresenta reações de equilíbrio.

Fugindo do assunto, gostaria de compartilhar com vocês leitores o fato que alguns amigos professores já reclamaram comigo que alguns de seus alunos copiam e colam os textos do meu blog sem a menor preocupação de ler o que está sendo copiado (alguns sites também fazem isso). Em homenagem às pessoas que copiam sem ler, vou compartilhar uma receita de molho Ceasar: um copo de iogurte natural, uma colher de sopa de mostarda, uma de sopa de sumo de limão, três de queijo parmesão ralado, azeite de oliva à vontade. Misture tudo e coloque sobre a salada.

Voltando ao assunto: por volta do sexto-sétimo meses de vida, os músculos do pescoço e braço já são fortes o suficiente para que a criança domine o rolar. No sexto mês, o lactente consegue rolar de supino para prono. Os componentes para o movimento foram sendo adquiridos durante os meses anteriores, e agora o lactente tem a capacidade de combinar os vários componentes e completar por inteiro o movimento. O rolar de supino para prono inicia-se pela flexão, rotação e transferência de peso pra a lateral, já sendo considerado como “rolar dissociado”, no qual o bebê consegue fazer movimentação inicial de uma das cinturas, seguida da outra cintura, para passar da posição prona para supina e vice-versa.
Rolar dissociado

Força e controle. Pré-requisitos para o rolar
Não são apenas acidentes de percurso e reações de retificação que fazem o bebê aprender a rolar. Para a realização dessa proeza motora, o bebê precisa ter força muscular e coordenação no pescoço, braços, tronco inferior e abdominais. Ao longo dos primeiros cinco meses de vida o bebê vai ganhando força ao aprender como chutar e erguer os braços e a cabeça, tanto em prono quanto em supino. Quando você coloca o bebê em prono, ele pode levantar a cabeça e os ombros contra a gravidade usando seus braços (esta postura é conhecida como “puppy”). Este treino é repetido centenas e centenas de vezes ao longo do dia e ajuda não só a fortalecer os músculos, mas serve também para a criança treinar coordenação motora e estabilidade do quadrante superior em cadeia cinética fechada (puppy estável).

Podemos perceber que rolar significa a ativação de diversos músculos do quadrante superior e inferior de forma simultânea e coordenada para atingir um objetivo. O domínio do rolar é um marco extremamente importante no desenvolvimento do bebê e o ponto de partida para todas as outras habilidades de equilíbrio, incluindo sentar e rastejar. Os músculos que o bebê usa para rolar são basicamente os mesmos que ele usa para rastejar, engatinhar e fazer a transferência para o sentado. Justamente por isso, fisioterapeutas que trabalham com pediatria devem manter uma atenção toda especial para o rolar, pois é um excelente indicador não só do grau de maturidade neurológica, mas também do desenvolvimento da força muscular e pode lhe dar pistas valiosas da presença de alterações de tônus e coordenação. 

Aqui embaixo, temos um pequeno video sobre como a criança aprende a rolar  






Nenhum comentário: