sábado, 26 de janeiro de 2019

Você sabe quem foi Kapandji?

Não importa se você é estudante de fisioterapia ou fisioterapeuta formado(a). Se em algum momento da sua vida acadêmica você frequentou uma faculdade de fisioterapia, certamente você já leu um dos livros da coleção Fisiologia Articular – esquemas comentados de mecânica humana (ou simplesmente Kapandji, para os íntimos).
Aliás, se me pedissem para listar os livros que mais me influenciaram ao longo de toda a faculdade de fisioterapia, certamente o Kapandji estaria no Top 5 desta lista. A coleção do Kapandji, composta por 3 volumes, é conhecida entre os estudantes como “a Bíblia da biomecânica”, pois conta com textos sobre a mecânica articular e belíssimas ilustrações que demonstram graficamente o conteúdo dos textos. 
Mas se por alguma razão ou obra do destino você passou pela disciplina de cinesiologia e não estudou por esses livros, cara... você não sabe o que está perdendo.... mas ainda dá tempo de correr atrás do prejuízo. Nas referências tem um link pra você baixar a coleção em pdf.  
Vale a pena destacar que o autor desenhou sozinho todas as ilustrações. Sem dúvidas um feito genial, não é mesmo? Porém o mais estranho é que, apesar da enorme  popularidade desses livros, não existe muita informação disponível sobre a biografia do autor. Isso deixa os mais curiosos (assim como eu) com várias questões não respondidas: Qual a formação do Kapandji? Ele é fisioterapeuta ou professor de educação física? O que o motivou a escrever essa coleção de livros? E o mais importante: porque ele desenhou um sujeito pelado comendo maçã na capa das primeiras edições ?

A lenda
O fato de não haver muitas informações sobre sua vida, abre uma brecha enorme para o surgimento de mitos e lendas. Já ouvi algumas lendas sobre o meu amigo Kapandji (permito-me esta intimidade pela quantidade de vezes que li seus livros). Em uma das versões que ouvi, ele foi descrito como um estudante que fazia desenhos de anatomia e os vendia para pagar a faculdade. Em uma outra versão, conta-se que Kapandji era um desenhista profissional que estudou fisioterapia e resolveu combinar seus dois talentos e escrever um livro. Há ainda uma terceira lenda na qual Kapandji foi um aluno de Mezière e que os três livros sobre fisiologia articular nada mais são do que suas anotações pessoais, feitas na época em que estudou com ela.
Todas as versões são bem bacanas, diria até que representam aquele mantra de auto ajuda do instagram: “Não coloque limites nos seus sonhos”, mas a realidade é bem menos romântica, embora também seja uma bela história de vida.

Mas afinal, quem foi Kapandji?
Adalbert Ibrahim Kapandji nasceu em 17 de abril de 1928 em Paris e faleceu aos 90 anos em 09 de janeiro de 2019. Seu pai, Mehmet Ibrahim era um cirurgião; e sua mãe Roberte Jeanne era uma pintora.  Nosso amigo Kapandji seguiu os passos de seu pai e formou-se em medicina. Inicialmente atuou como cirurgião geral, com especialidade em cirurgia abdominal, mas com o passar do tempo acabou se dedicando à cirurgia ortopédica.
Este é o rosto por trás dos livros que te acompanharam noites em claro estudando cinesiologia

Segundo o próprio Kapandji, sua ligação com a fisioterapia e a publicação da coleção de fisiologia articular aconteceu graças a um golpe de sorte. Em certo momento de sua vida, Kapandji foi convidado por um amigo para dar aulas de mecânica articular em uma faculdade de fisioterapia na França. Ele aceitou e passou a lecionar utilizando suas habilidades de desenhista para ilustrar suas aulas. Ah! Aqui temos um outro detalhe que quase me esqueci de citar. Além de sua experiência como cirurgião, e das habilidades artísticas herdadas da mãe, o avô de Kapandji era engenheiro, e de seu avô herdou o gosto por geometria analítica (uma das características de seus desenhos).
Ao longo de seu período como professor, Kapandji percebeu que as ilustrações eram um recurso que motivava a turma e facilitava o aprendizado. Ele se deu conta que os desenhos e esquemas ilustrados que ele havia produzido eram recursos didáticos bons demais para ficarem restritos à sala de aula, e deveriam ir além daquele pequeno círculo de estudantes de fisioterapia. Assim, apresentou suas ideias a um editor que considerou interessante a proposta de mesclar textos e uma quantidade generosa de ilustrações e levou adiante o projeto de tornar seus desenhos parte de um livro de fisiologia articular.
Naquela época Kapandji não tinha idéia que seus livros ganhariam o mundo, sendo traduzidos em diversos idiomas!!!. Graças a esse editor temos hoje nas bibliotecas das faculdades de fisioterapia do Brasil, quase como item obrigatório, os exemplares da coleção de fisiologia articular.

Kapandji, o Stan Lee da fisioterapia
Kapandji explica que as ilustrações dos livros seguem a proposta de que cada desenho deve ilustrar um único conceito cinesiológico por vez, de tal maneira que ao leitor seja mais fácil compreender o conceito abordado. Para tanto, baseou-se nos princípios das histórias em quadrinhos, e dos “story boards”. Em outras palavras: suas sequências de desenhos ilustram os pontos essenciais sobre a forma como os músculos e articulações trabalham, muitas vezes de forma sequencial e detalhada, como uma pequena estorinha em quadrinhos, a qual no final nos brinda com a compreensão de como o jogo articular interage com os músculos resultando no movimento.

Kapandji não se destacou apenas por desenhar bem
Além dos livros, Adalbert I. Kapandji descreveu uma técnica de fixação das fraturas da extremidade distal do rádio com fios de Kirschner intrafocais. Esta técnica foi inicialmente recomendada para pacientes jovens, porém seu sucesso fez com que seu uso se difundisse e que as indicações aumentassem. 
Além disso, também criou o escore Kapandji. Trata-se de um teste usado para avaliar a mobilidade e funcionalidade do movimento da mão, utiliza medidas simples e facilmente reproduzíveis, baseadas na movimentação do punho, oposição do polegar e flexo-extensão dos demais dedos da mão. 

Muito bem Fisionautas, espero que tenham gostado desta singela homenagem ao meu amigo Adalbert Kapandji disfarçada de momento cultural.


REFERÊNCIAS

Para baixar os livros:
Kapandji Volume 1   =>  4 shared  < Clique AQUI>
Kapandji Volume 2   =>  4 shared  < Clique AQUI>
Kapandji Volume 3   =>  4 shared  < Clique AQUI>

Artigos:
Reliability, Validity, and Responsiveness of the Modified Kapandji Index for Assessment of Functional Mobility of the Rheumatoid Hand. Arch Phys Med Rehabil Vol 84, July 2003

FIXAÇÃO DAS FRATURAS DA EXTREMIDADE DISTAL DO RÁDIO PELA TÉCNICA DE KAPANDJI MODIFICADA: AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS RADIOLÓGICOS. Rev Bras Ortop. 2011;46(4):368-73

Entrevista
http://fissioterapia.blogspot.com/2012/10/adalbert-ibrahim-kapandji.html

Nenhum comentário: