segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Alavancas


Salve salve Fisionautas !

O estudo das alavancas corporais é um conteúdo essencial no curso de graduação em fisioterapia. Sua importância baseia-se no fato de que o sistema musculoesquelético faz uso de alavancas para manter o corpo nas diferentes posturas bem como para a locomoção e movimentação do corpo no espaço. Fisioterapeutas utilizam aplicam os conhecimentos de alavancas nas áreas de ergonomia, fisioterapia desportiva, terapia manual, etc.

Pra começar:
A alavanca é classificada na Física como uma máquina simples, composta por uma haste rígida sobre um ponto de apoio. Estes componentes são organizados de tal forma que podem ser utilizados para converter uma força linear em um torque rotacional e também como forma de ampliar a intensidade da força aplicada.

As alavancas possuem 4 componentes que são de grande interesse na fisioterapia - braço de alavanca, pivô, força e carga. Em nossos corpos:
  • Ossos funcionam como braços de alavancas
  • Articulações agem como pivô (ou fulcro)
  • Músculos oferecem as forças de esforço para mover carga
  • Forças de carga são geralmente os pesos das partes do corpo que estão sendo movidas ou forças necessárias para erguer, empurrar objetos.

Existem 3 classes de alavancas: 

Alavanca de Primeira Classe / Interfixa = No corpo humano é utilizada para manter uma postura ou equilíbrio. o eixo de rotação fica posicionado entre a força e a resistência..Ex: uma gangorra, músculos posturais, articulação atlanto-occipital. Neste exemplo o crânio é o braço de alavanca e os músculos do pescoço na parte de trás garantem a força para elevar a cabeça contra o peso da cabeça. Quando os músculos do pescoço relaxam, a cabeça pende para frente

Alavanca de segunda Classe / Inter-resistente = As alavancas de segunda classe fornecem vantagem de FORÇA (maior alavancagem), de modo que grandes pesos podem ser suportados ou movidos por uma pequena força. A força resistente está localizada entre o apoio e o ponto de aplicação da força. Ex: o movimento de ficar na ponta dos pés. Neste exemplo o eixo é formado pelas articulações metatarsofalangeanas, a resistência é o peso do corpo e a força é aplicada ao calcâneo por meio do tríceps sural via tendão de aquiles.
Alavanca de terceira Classe / Interpotente = As alavancas de terceira classe são as mais comuns no corpo humano . O braço de PESO é sempre MAIOR que o braço de FORÇA, (desvantagem mecânica). Esta disposição é projetada para proporcionar VELOCIDADE do segmento distal e para mover um peso pequeno a longa distância. Este tipo de alavanca também oferece a vantagem de uma maior velocidade de movimento. Ex: contração do bíceps braquial. Neste exemplo a articulação do cotovelo é o eixo, a resistência (peso) é representada pelos antebraços, punho e mão. A força é o bíceps quando o cotovelo é fletido. A contração do bíceps produz um movimento amplo no antebraço.

Na prática

Algumas orientações de cuidados posturais são baseadas no sistema de alavancas. Sabe aquela orientação de usar as pernas ao invés das costas quando é preciso levantar um peso do chão ? Ela é uma aplicação prática do sistema de alavancas

Levantar peso como a pessoa à esquerda, produz um grande torque sobre a coluna lombar (pivô). A força usada para erguer está a uma grande distância perpendicular do pivô. Os músculos das costas precisam exercer uma grande força para gerar o torque necessário para erguer o peso.

É importante manter esse peso próximo ao corpo para reduzir o torque gerado na coluna, dessa forma, fletir os joelhos e usar a força dos quadríceps para elevar o peso do chão é uma estratégia eficiente e que ao mesmo tempo protege a coluna de sobrecargas.
Então é isso pessoal. 
Espero que esta postagem seja útil
Vida longa e próspera

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Cadeira de PVC em CTI

Há alguns anos atrás eu fiz uma postagem comentando a respeito de um curso de mobiliário adaptado em PVC ( Acesse AQUI ). Uma solução para confeccionar andadores, estabilizadores e cadeiras de baixo custo.
Recentemente uma dessas soluções ganhou notoriedade na mídia. Trata-se de uma cadeira criada pelo fisioterapeuta Luis Antônio Nunes especialmente para ser usada por pacientes no CTI do Instituto Emílio Ribas - São Paulo.
É isso aí pessoal, fazendo o melhor com os recursos que temos.
Parabéns Luis!!!

Confira a reportagem no G1 - Fisioterapeuta cria aparato de PVC com baixo custo para paciente de UTI
Confira a reportagem no diário oficial de São Paulo - Clique Aqui
Confira a Reportagem do programa Hoje em Dia




Confira reportagem do Jornal da Gazeta



quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Drenagem Postural

A drenagem postural é uma técnica de higiene brônquica que consiste no posicionamento do paciente em decúbitos específicos que favorecem o processo de deslocamento das secreções brônquicas por meio da ação da gravidade. Podemos dizer que se trata de uma técnica clássica de fisioterapia respiratória. A descrição mais antiga do uso de drenagem postural remonta a 1898 por S. H. Quincke, o qual recomendava o uso intermitente da drenagem postural em pacientes com secreção espessa.

A explicação de como a Drenagem postural funciona é baseada no conceito medieval de que se você pendurar uma pessoa de cabeça para baixo por tempo o suficiente as secreções pulmonares irão escorrer e sair pela boca, limpando assim os pulmões. Como este procedimento viola a convenção de Genebra e mais uma dúzia de tratados internacionais, sabiamente optou-se por modificá-lo, e ao invés de pendurar o paciente de ponta cabeça, passou-se a posicioná-lo em posturas que levam em consideração a anatomia da árvore brônquica para que a gravidade auxilie o transporte de secreções.

Voltando a falar sério: A drenagem postural foi bastante utilizada ao longo do século passado, e sem dúvida foi uma das técnicas que ajudou a fisioterapia respiratória a estabelecer-se como profissão da área da saúde. Ainda hoje a drenagem postural é utilizada em hospitais e clínicas de fisioterapia ao redor do mundo.

Aplicação da técnica
Como mencionado anteriormente, o procedimento para a drenagem postural consiste em posicionar o paciente de modo que a gravidade auxilie o transporte de secreções das pequenas vias aéreas para as vias aéreas centrais. Dependendo do segmento a ser drenado, o paciente pode ser posicionado sentado, em prono, supino, decúbito lateral ou com a cabeça abaixo do nível do corpo em um ângulo entre 15 e 30 graus, como nas figuras abaixo.


FONTE: Pryor J and Prasad S (eds) (2008): Physiotherapy for Respiratory and Cardiac Problems (4th ed). Edinburgh: Churchill Livingstone, p 167
Com relação ao tempo em que o paciente deve permanecer na postura, posso lhe adiantar que se você fizer uma busca na literatura científica irá encontrar recomendações para todos os gostos, variando de 3-5 minutos a até 1 hora em cada postura. Na minha opinião, o melhor mesmo é que o tempo em que cada paciente vá permanecer na postura de drenagem seja orientada pela ausculta pulmonar. Tão logo a secreção tenha sido eliminada e tenha havido melhora na ausculta pulmonar, muda-se o decúbito.  
Outra coisa importante: Os principais guidelines que usam drenagem postural, recomendam que esta conduta seja feita em associação a outras técnicas de fisioterapia respiratória. Aparentemente a drenagem postural sozinha tem pouco ou nenhum efeito desobstrutivo, mas quando associada a outras técnicas é possível potencializar a higiene brônquica.

Nem só de gravidade se faz a Drenagem Postural
Finalmente, creio que seja importante chamar a atenção par o fato de que a ação da gravidade não é o único fator que devemos levar em conta quando utilizamos a drenagem postural. Devemos estar alertas também a viscosidade das secreções, o nível de hidratação do paciente, se há algum transtorno na motilidade ciliar e principalmente a efetividade da tosse.
O objetivo desta postagem foi compilar algumas informações sobre a drenagem postural. Creio que é uma técnica que pode ser útil em algumas condições específicas e que não deve ser menosprezada. Confesso que a drenagem postural é um dos últimos truques que eu tiro da manga quando estou atendendo um paciente, e confesso a vocês que (algumas poucas vezes) aconteceu desta ser a única técnica que conseguiu promover a higiene brônquica do paciente que eu estava atendendo.

Espero que esta postagem seja útil.

Hasta la vista 

REFERÊNCIAS:

Physiotherapy for airway clearance in adults. European Respiratory Journal 1999 14: 1418-1424

DRENAGEM POSTURAL: prática e evidência Fisioter Mov. 2009 jan/mar;22(1):11-17.

Airway clearance techniques for chronic obstructive pulmonary disease. Cochrane Database Syst Rev. 2012 Mar 14;(3