quinta-feira, 4 de abril de 2019

Os ossos do carpo - Cinesiologia e Anatomia

ALOHA !!!!
As mãos humanas representam um dos mecanismos mais complexos de nosso corpo. Com elas nós conseguimos manipular objetos, sentir texturas, avaliar temperatura e também expressar ideias e sentimentos (essa última função é de grande importância, principalmente se você for descendente de italianos).
Pelo fato de serem tão importantes e as usarmos bastante, as mãos estão expostas a lesões traumáticas, lesões por esforço repetitivo e podem ainda ser afetadas por doenças degenerativas. Sendo assim, o conhecimento abrangente da anatomia e biomecânica das estruturas da mão é de grande interesse para nós, fisioterapeutas.
É claro; inúmeros textos já foram escritos sobre a estrutura e função da mão humana, e esta postagem tem apenas o objetivo de fazer uma breve revisão sobre os ossos do carpo e tentar descomplicar alguns conceitos. 

A ESTRUTURA FUNCIONAL DO PUNHO
O complexo articular do punho pode ser entendido como o elo anatômico que conecta a mão ao antebraço. É formado pelas extremidades distais do rádio e da ulna, juntamente com os oito ossos do carpo e as bases dos cinco metacarpos, somando um total de 15 estruturas ósseas.
Aqui vale uma pequena observação: O rádio distal articula-se com os ossos do carpo enquanto a ulna articula-se apenas com o rádio (!). A ulna não tem contato direto com nenhum dos ossos do carpo. Entretanto, existe uma estrutura que faz a ponte entre a ulna distal e os ossos do carpo. Essa estrutura é chamada fibrocartilagem triangular, e tem a função de amortecimento e suporte de carga no lado ulnar do punho e, como o próprio nome diz, é formada por cartilagem em sua porção central e ligamentos nas suas margens.
Tranquilo até aqui? Então preparem-se pois a partir de agora, a quantidade de informações que serão apresentadas poderão desencadear um ataque de pânico em alguns leitores desavisados. Por isso, neste momento, sugiro que você interrompa sua leitura por alguns segundos, apenas o suficiente para respirar fundo e mentalizar o mantra "Não entre em pânico"....
Prometo que a coisa não é tão horrível quanto parece..... apenas siga meu conselho de não entrar em pânico.

OS OSSOS DO CARPO
O carpo compreende o conjunto de oito pequenos ossos interpostos entre as extremidades distais do rádio e da ulna e as bases dos cinco metacarpos. Esses oito ossos tem nomes engraçados e compõem o que convencionamos chamar de punho, sendo classicamente descritos como dispostos em duas fileiras:
Fileira proximal (apresentados a partir do polegar): Escafoide, Semilunar, Piramidal e Pisiforme
Fileira distal (apresentados a partir do polegar): Trapézio, Trapezoide, Capitato e Hamato 
Ainda lembro de como foi desesperador tentar memorizar a posição e o nome desses benditos ossinhos.  Felizmente existem algumas técnicas que podem ajudar nesse processo. Eu selecionei três formas de memorizar os ossos do carpo. Espero que ao menos uma sirva pra você.

Técnica #1 (disponível no facebook; na página dra. Fisio


 Memorize o mantra TRA –TRA –CA – HA e ES – SE – PI – PI  e lembre-se que essa é a sequência dos ossos a partir do primeiro quirodáctilo, vulgarmente conhecido como polegar ou dedo do joinha.


Técnica #2 Eu Sei Porque o Professor Também Tentou Comer Hambúrguer
A primeira letra de cada palavra dessa frase se relaciona com a sequência dos ossos do carpo
Eu = Escafóide
Sei = Semilunar
Porque = Piramidal
Professor = Pisiforme
Também = Trapézio
Tentou = Trapezóide 
Comer = Capitato
Hambúrguer = Hamato

Eu conheci essa técnica mnemônica em um vídeo sobre os ossos do carpo do canal anatomia prática do Youtube. Esse macete é explicado com riqueza de detalhes lá por volta dos 2minutos de vídeo. 



Técnica #3 Desenhar . . . desenhar . . . desenhar . . . 
Pois é, a terceira técnica consiste em desenhar até você ficar com a mão doendo e/ou o saco cheio.  
Essa técnica não está em lugar nenhum da internet. Na verdade, foi a forma que melhor me serviu, pois além da ordem e nome dos ossos, precisei memorizar alguns outros detalhes. Veja bem, você não precisa desenhar uma obra de arte. Pouco importa se sua coordenação motora é equivalente a de uma criança de 5 anos. Você não precisa mostrar pra ninguém!!!. Faça o desenho apenas respeitando a ordem e a localização dos ossos.
Posso te garantir que depois da terceira vez em que conseguir desenhar corretamente sem olhar para o modelo (repito: sem olhar!!), você já estará com tudo muito bem memorizado.

   
COMPLEXO ARTICULAR DO PUNHO
A grosso modo, podemos entender que o carpo, apesar de formado por oito ossos, comporta-se como se houvessem apenas duas superfícies articulares: 
[1] A articulação rádiocárpica, e 
[2] a articulação mediocárpica.

Articulação radiocárpica:
A anatomia estrutural da primeira fileira de ossos do carpo tem o formato côncavo, permitindo um encaixe congruente com o radio formando uma articulação do tipo condilar ou condilóide com dois eixos de movimento: um transversal, através do qual os movimentos de flexo-extensão acontecem; e outro ântero-posterior, através do qual ocorrem movimentos de abdução-adução (desvio radial, desvio ulnar).
Esta articulação está envolta por uma cápsula articular frouxa, porém forte, reforçada por ligamentos. A superfície proximal da articulação radiocárpica é formada pela extremidade do rádio + fibrocartilagem triangular. A superfície articular distal é formada pelos ossos da fileira proximal do carpo: escafoide, semilunar e piramidal. O osso piramidal articula-se primariamente com a fibrocartilagem e o osso pisiforme não participa dessa articulação.



Articulação mediocárpica:
A articulação mediocárpica, está situada entre as duas fileiras de ossos do carpo. A linha articular da mediocárpica tem a forma de um “S” itálico. As superfícies distais do escafoide, semilunar e piramidal combinadas articulam-se com as superfícies proximais dos ossos da segunda fileira do carpo:  trapézio, trapezoide, capitato e hamato.

A Fibrocartilagem Triangular
A fibrocartilagem triangular, estende-se do processo estiloide da ulna até a borda inferior da incisura ulnar do rádio. Essa estrutura é ao mesmo tempo uma superfície articular e um meio de união. Nos movimentos de prono-supinação, a fibrocartilagem movimenta-se em torno da ulna como um “limpador de para-brisas”.


Movimentos do carpo
Você acreditaria se eu lhe dissesse que existem movimentos intracarpais durante a flexão/extensão, adução/abdução do punho? Isso mesmo! O carpo não é um amontoado de ossos fixados uns aos outros. Entretanto, nesta postagem irei me limitar a cinesiologia dos movimentos carpais descritos nos livros Kapandji, Blandine e Kisner, os quais (acreditem em mim) são os mais simples e didáticos que encontrei. Deixarei referências no final para quem quiser se aprofundar mais no tema.

Flexão/extensão de punho
A artrocinemática da flexão e extensão do punho é baseada no movimento sincronizado das articulações radiocárpica e mediocárpica. Quando realizamos os movimentos de flexão e extensão do punho, ocorrem, nas duas fileiras do carpo, movimentos de deslizamento volar (ventral) e dorsal, além de adução e abdução.  Um detalhe interessante desse mecanismo é que os movimentos de adução e abdução são opostos nas duas fileiras e se anulam mutuamente.  
Durante a flexão, a primeira fileira do carpo (escafoide-semilunar-piramidal) desliza em direção ao dorso da mão e realiza também uma ABDUÇÃO associada, enquanto que a segunda fileira (trapézio-trapezóide-capitato-hamato) realiza uma ADUÇÃO, e como já mencionado, essa adução da segunda fileira compensa e anula a abdução da primeira linha.
Durante a EXTENSÃO, a primeira fileira dos ossos do carpo realiza um deslizamento em direção ventral e uma ADUÇÃO associada, enquanto a segunda fileira realiza uma ABDUÇÃO compensatória.


Desvios ulnar e radial
Durante o desvio radial, a primeira linha executa uma FLEXÃO, enquanto a segunda linha executa uma EXTENSÃO de compensação.

Durante o desvio ulnar, ocorre exatamente o oposto, ou seja: a 1ª fila realiza uma EXTENSÃO, enquanto a 2ª fila realiza uma FLEXÃO compensatória


Ok Galera,
Sei que esta postagem é incompleta, mas acho que vai ajudar a quem estiver dando os primeiros passos nos estudos da articulação do punho. Sugestões e correções de eventuais equívocos são bem vindas.

REFERÊNCIAS (com links diretos para os artigos)